Categorias
Como usar as redes sociais Empreender em Social Media

O que faz um Social Media?

Parece legal a ideia de passar o dia nas redes sociais, observando os memes do momento. E talvez até seja mesmo, mas se você é um Social Media (ou profissional das mídias sociais) você não fará isso em um dia de trabalho.

Mas então o que faz um social media?

A profissão é nova (comparando com as profissões do marketing que existem desde o século 19) e, na verdade, não tem uma graduação específica até agora. Quando comecei a trabalhar com isso, há uma década, não existia toda a estrutura que temos hoje de plataformas para negócios, de ferramentas e recursos que podem ser usados para fazer uma empresa vender algo nas redes sociais.

Ou seja, quando cheguei aqui tudo era mato.

A pessoa que trabalha com mídias sociais pode trabalhar em uma área específica ou pode combinar saberes de duas ou mais áreas. Eu, por exemplo, sou em primeiro lugar uma estrategista de mídias digitais, mas também entendo de copywriting e monitoramento.

Se você está em dúvida sobre trabalhar com mídias sociais, aqui está um checklist de habilidades desejadas:

– Saber muito sobre marketing;
– Dominar a língua portuguesa;
– Não ter medo de números;
– Saber usar planilhas (Excel e afins);
– Ter conhecimento de informática;
– Ter noções de estética;
– Ter visão estratégica;
– Entender pessoas e ter empatia;
– Acompanhar notícias e atualidades;
– Estar sempre aberta e curiosa para aprender o que você ainda sabe.

Além dessas, é preciso conhecer as plataformas de redes sociais de forma aprofundada. Hoje temos plataformas diversas, e para todas elas o profissional deve saber:

– Regras e Políticas de uso;
– Uso de plataformas profissionais (as plataformas business de cada rede);
– Possibilidades de compra de mídia digital;
– Configurações gerais e específicas de páginas, perfis comerciais, contas de anúncios, etc.;
– Como coletar dados para analisar o resultado do trabalho;
– Comportamento do usuário de cada plataforma;
– Melhores formatos de conteúdo para cada uma;
– Como monitorar o que as pessoas falam da sua marca;
– O que é mito e o que é realidade no universo do marketing digital.

Você possivelmente não vai usar todas essas habilidades ao mesmo tempo, mas certamente terá que tomar decisões que envolvam esses conhecimentos. Assim, podemos dizer que o dia a dia do Social Media gira em torno de usar as plataformas de redes sociais para estabelecer comunicação entre a marca e as pessoas, levando à venda.

Sim, você precisa fazer seu cliente ganhar dinheiro. Sim, você será fortemente cobrada pelos seus resultados.

Uma pessoa que estude Marketing, Administração, Publicidade, Jornalismo, Relações Públicas e afins vai aprender um pouco de tudo isso na faculdade, com mais ou menos aprofundamento dependendo da formação. Por isso dizemos que essas áreas são as preferenciais para se trabalhar com mídias sociais, mas nada impede uma pessoa de outra área de estudar e fazer um bom trabalho.

Quais habilidades e conhecimentos você já tem?

Quais você quer desenvolver?

Me conta!

 

Publicado originalmente aqui.

 

Categorias
Facebook Google Ads Instagram

É hora de parar com suas campanhas de mídias digitais?

O isolamento social certamente terá impacto nas empresas, mas o que você deve fazer com suas campanhas digitais neste momento?

Que o momento, diante da pandemia de coronavírus e consequente isolamento social, é incerto todo mundo já sabe. E aí surge a questão de o que fazer com as campanhas de mídias digitais neste momento.

A primeira coisa é respirar fundo e lembrar que em algum momento sairemos do isolamento. E, quando isso acontecer, é uma boa ideia ter sua empresa pronta para retomar as atividades e colocar em prática os aprendizados da pandemia.

Para ajudar nessa decisão, aqui vão as respostas para as perguntas mais frequentes nos últimos dias.

Devo seguir publicando nas redes sociais da minha marca?

Sim. A ideia deste momento é, justamente, nos isolarmos fisicamente, mas mantermos nossas vidas em uma certa normalidade. Tanto que as empresas seguem trabalhando, mas os funcionários estão em home office ou a empresa trabalha apenas com entregas, mas mantém as portas fechadas.

Devo mudar minha estratégia?

Sim. Comentei no Instagram na semana passada sobre como ajustar o conteúdo para este momento, dá uma olhadinha aqui. Em linhas gerais, este é um momento para reavaliar o que você oferece e como. É também propício para apresentar uma face ainda mais humana da sua marca, compartilhando como suas esquipes estão trabalhando e como a marca está se adaptando para o período de isolamento.

  • Você tem algum produto ou serviço que pode ser oferecido à distância ou até virtualmente?
  • Como sua marca vai apoiar as pessoas – descontos, entrega, atendimento online, vantagens para quem consumir seu produto agora?
  • Como sua marca vai demonstrar que não está muda e entende o que as pessoas estão sentindo?
  • Devo parar minhas campanhas pagas?

Não. Considerando que você seguirá publicando, mesmo que com ajustes no conteúdo, é fundamental manter as campanhas ativas, por uma série de razões:

  • se seus concorrentes estão anunciando, sua marca fica para trás;
  • quando você para com conteúdo e anúncios, eventualmente sua página de Facebook e perfil de Instagram caem no ranqueamento feito automaticamente pelos algoritmos;
  • na hora em que você precisar voltar, vai ser como começar tudo do zero. Ou seja, 3 a 6 meses para seus resultados voltarem ao normal.

Seu concorrente está anunciando em Facebook e Instagram? Descubra aqui.

Este é um momento estratégico. A forma como você se posicionar (ou não) definirá a imagem da sua marca de agora em diante. Você quer ser lembrado como a marca que pensou no bem-estar dos funcionários? Como a empresa que pensou em melhorar a vida de outros em um momento delicado? Como a empresa que esteve perto dos seus consumidores, mesmo com a distância física?

Ou prefere ficar marcado como a empresa que se diz moderna, mas tem medo de admitir que sua equipe pode trabalhar bem remotamente? Como a marca que aumentou preços durante uma pandemia? Como o negócio disruptivo que demonstrou ser desconectado da vida real das pessoas?

A escolha é sua.


UPDATE – 26.03.20

Abri minha caixa de entrada e estava lá uma newsletter do Neil Patel (super recomendo o Ubersuggest, por sinal), com uma lista de perguntas para ajudar você a refletir neste momento:

Pensar no longo prazo e agir no curto prazo

  • Quem é o TOP player do seu mercado? E o que ele está fazendo agora?
  • Onde está sua visão?
  • O que você deve somar no seu negócio HOJE?
  • Quais as consequências de não agir agora?
  • Como você deve agir agora para que sua visão se concretize no longo prazo?

Livre concorrência

  • Quem é seu “inimigo”?
  • Como os seus concorrentes gostariam que você agisse?
  • Como você acha que seus concorrentes estão agindo?
  • O que faz de você “o único”?

Oferta x Demanda

  • Quem te ama (no mercado)?
  • O que você deveria ter feito antes da demanda se reprimir?
  • Você está preparado para quando a demanda reprimida voltar?
  • Qual a sua melhor oferta após a crise?

Custo de oportunidade

  • O que acontecerá se você ficar parado?
  • Qual a próxima tendência do seu mercado? Como você pode tirar proveito disso?
  • Como você expande seu sucesso?
  • Como manter o foco?

Categorias
Como usar as redes sociais Instagram

Coleta de leads no Instagram: tudo o que você precisa saber

A maioria dos profissionais de marketing de mídias sociais não pensa no Instagram como uma plataforma para gerar leads. Mas se você fizer certo, essa estratégia pode ser muito eficaz.

Isso porque os leads de mídia social são clientes em potencial que manifestam interesse em sua empresa e fornecem informações que os profissionais de marketing podem usar para melhorar suas campanhas.

Pra você ter uma ideia, aproximadamente 80% das contas seguem uma empresa ou um negócio no Instagram, o que já é um bom sinal de intenção que os profissionais de marketing podem explorar. Ainda melhor: 80% dos participantes da pesquisa do Facebook dizem que usam o Instagram para decidir se compram ou não algo.

Então, se você não está coletando leads no Instagram, está perdendo tudo isso. Quer saber como obter mais leads no Instagram? Continue conosco para saber como você pode usar os anúncios de leads do Instagram e outras táticas orgânicas para coletar mais leads na plataforma.

1. Use anúncios de geração de cadastros do Instagram

A primeira — e mais óbvia — maneira de obter mais leads no Instagram é usar anúncios de geração de cadastros. Eles têm o objetivo de ajudar as empresas a coletar informações de clientes em potencial, como endereços de e-mail, números de telefone, datas de nascimento e cargos.

Esses anúncios podem ajudar as empresas a aprender mais sobre os clientes, a melhorar as campanhas de marketing direto e muito mais.

Para criar anúncios de geração de cadastros, você precisará ter uma conta comercial do Instagram. Isso também significa precisar de uma página no Facebook, pois todos os anúncios do Instagram são criados no Gerenciador de anúncios do Facebook.

Na lista de seleção de objetivos de campanha, escolha Geração de cadastros como seu objetivo de marketing. Além disso, o Facebook recomenda que você selecione “Posicionamentos automáticos” para garantir que o custo por lead (CPL) seja otimizado e reduzido ao mínimo.

Para garantir que seu anúncio seja exibido no Instagram, você deve seguir as especificações de anúncio do Instagram. Considere adicionar seções preenchidas automaticamente aos seus formulários, pois elas geralmente melhoram as taxas de conclusão. O Instagram pode preencher previamente o endereço de e-mail, o nome completo, o número de telefone e o sexo usando as informações das contas dos clientes.

As informações do cliente coletadas podem ser usadas para ajustar sua estratégia de segmentação de anúncios do Instagram ou para configurar o Público Semelhnate (Lookalike Audience). Esse tipo de público ajuda a segmentar pessoas com perfis semelhantes ao daqueles que preencheram seu formulário, permitindo aumentar a exposição e alcançar novos clientes em potencial.

2. Adicione botões de chamada para ação (CTA) ao seu perfil

Se você tem uma conta comercial no Instagram, pode adicionar botões de chamada para ação ao seu perfil. Se desejar, seu perfil pode incluir um link para o seu e-mail, número de telefone e endereço comercial, para que as pessoas possam entrar em contato com sua empresa.

Além desses botões, o Instagram oferece melhores opções para geração de leads, incluindo os botões de ação Reservar, Agendar, Iniciar pedido e Obter ingressos. Esses botões levam as pessoas a formulários pelos provedores do Instagram, você só precisa escolher um que sua empresa use.

Para adicionar um botão de chamada para ação (CTA):

  1. na página da sua conta, toque em Editar perfil;
  2. toque em Opções de contato;
  3. selecione Adicionar um botão de ação;
  4. escolha o botão e o provedor que você deseja adicionar;
  5. adicione o URL que sua empresa usa com o provedor selecionado.

3. Otimize o link da bio

Com o espaço limitado de links no Instagram, é crucial usar o espaço do link em sua biografia em todo o seu potencial.

Seu link deve indicar aos clientes o objetivo que você deseja alcançar. Isso pode ser assinatura de newsletter, vendas de produtos ou uma pesquisa. Lembre-se, você pode alterar seu link quantas vezes quiser.

Aqui estão algumas dicas para otimizar os links da bio do Instagram:

  • mantenha o link curto e tente usar seu nome de marca nele;
  • promova o link em suas postagens do Instagram com “Link na bio”;
  • inclua parâmetros UTM no URL para tornar seu link rastreável;
  • adicione uma chamada para ação (CTA) acima do link da biografia.

4. Crie uma landing page que entregue o que você prometeu

Parabéns! Alguém clicou no seu link. Agora você precisa de uma landing page que não faça com que seu lead se arrependa da decisão.

O Hootsuite criou um guia para as landing pages dos anúncios do Instagram, e muitas das dicas se aplicam aqui. A página deve ser digitalizável, criar uma experiência visual perfeita e ter um conteúdo que corresponda ao que as pessoas esperam encontrar. Qualquer que seja a promessa que sua CTA configura, sua landig page deve cumpri-la.

Para algumas marcas, isso significa usar ferramentas que transformam feeds em landing pages clicáveis. Você pode fazer isso com um link para seu site no canto superior direito, ou tornando seu feed mais comprável, com postagens que especificam e vinculam diretamente aos seus produtos, ou ainda criando um link para páginas específicas em seus sites.

5. Use o recurso “Deslizar para cima” no Instagram Stories

Outro lugar em que o Instagram permite que as pessoas incorporem links é o Instagram Stories. Se sua conta tiver mais de 10 mil seguidores, esse é um recurso que você deve usar para obter vantagem.

Não está convencido? Pois saiba que 1/3 das Stories mais visualizadas do Instagram são de empresas. Além disso, os leads do Stories do Instagram têm uma taxa de conclusão de 85%.

Os Stories tendem a ser mais eficazes do que um link na bio, já que basta um clique para agir por impulso. Lembre-se: não faça alguém se arrepender do impulso. Também é necessária uma boa landing page neste ponto.

Para adicionar um link ao Instagram Stories:

  • no feed, deslize para a direita ou toque no ícone “mais” na foto do seu perfil no canto superior esquerdo;
  • capture ou envie seu conteúdo;
  • clique no ícone da cadeia e adicione seu link.
  • se o link permanecer online por tempo suficiente, considere adicionar o Stories aos seus destaques. Isso aumenta sua visibilidade e oferece ao público uma chance de revisitá-lo.

6. Adapte a campanha ao seu objetivo

O melhor impulso para a geração de leads do Instagram é um forte apelo à ação. As frases de duas a seis palavras, como “deslizar para cima”, “comprar agora” e “clicar no link da bio”, podem ser muito eficazes — especialmente quando combinadas com o conteúdo certo.

Seus recursos visuais e sua CTA devem sempre trabalhar juntos para atingir o mesmo objetivo. Se você deseja que alguém clique no link da sua biografia do Instagram, sua postagem e legenda devem incentivá-lo a fazê-lo. Sua CTA deve ser o empurrão nessa direção. Quer que alguém deslize seu Stories no Instagram? Então, dê a eles um motivo para fazê-lo.

7. Crie conteúdo comprável

Marcar produtos no Instagram não é apenas uma boa maneira de aumentar as vendas. Mesmo que um clique não resulte em uma compra, você pode considerá-lo um lead coletado e um cliente interessado.

Esse tipo de informação é inestimável quando colocado nas mãos de profissionais de marketing experientes. Você pode usar esse recurso para ver em quais produtos seu público está interessado ou para segmentar anúncios para clientes que se engajaram.

Para criar publicações para compras no Instagram, comece verificando se sua conta está qualificada. Você precisa ter um catálogo do Facebook, que você pode criar usando o Gerenciador de Catálogos.

Após o seu catálogo ser conectado, você precisa se inscrever no Instagram Shopping. A partir daí, você pode começar a adicionar tags de produtos às suas postagens e histórias.

Com o Instagram Insights, você pode acompanhar as visualizações do produto (o número total de vezes que as pessoas clicam em uma tag) e o botão do produto (o número total de vezes que as pessoas clicaram em comprar na página do produto).

As postagens para compra também têm a chance de aparecer no feed Explorar, que mais de 200 milhões de contas visitam diariamente. O Instagram também está testando publicações de compras como anúncios, o que fornecerá aos profissionais de marketing maneiras de segmentar e coletar novos leads de clientes que visitam vitrines.

8. Faça parcerias com influenciadores

A parceria com influenciadores pode ser uma estratégia eficaz para a nova geração de leads do Instagram.

Então, escolha um influencer com forte afinidade com a marca, mas com apenas uma sobreposição parcial de seguidores. Isso garantirá que sua parceria alcance novos possíveis seguidores e leads.

Credibilidade também é importante. Se um influenciador tem a confiança de seus fãs, ele pode ter mais poder para influenciá-lo do que você — especialmente se você tem uma empresa jovem.

Com os testes em andamento, em breve os usuários do Instagram poderão comprar looks de influenciadores também.

9. Exponha produtos populares com frequência

Essa dica vem diretamente do Instagram. Como a empresa explica em seu blog comercial, os compradores nem sempre estão prontos para fazer uma compra na primeira vez que veem seu produto.

O Instagram recomenda que você verifique a guia Insights para encontrar as postagens de produtos com melhor desempenho. Em seguida, publique regularmente conteúdos populares para que você possa manter o produto atualizado, criar confiança no consumidor e criar mais oportunidades para ele comprar.

Para você ter uma ideia, nos EUA, para o lançamento do Futuredew, a marca de cosméticos Glossier postou sobre o produto em seu feed mais de dez vezes em menos de 5 semanas e até criou um destaque para o Stories. É importante ressaltar que a mesma publicação nunca foi usada duas vezes. A empresa mistura fotos de produtos com recomendações de influenciadores e narração interativa.

Portanto, maximize seu alcance postando regularmente, no momento certo e em diferentes formatos. Algumas pessoas podem apenas ver os seus Stories, enquanto outros olham exclusivamente para as postagens. Então, compartilhe nos dois formatos para melhorar suas chances. Mas se o fizer, lembre-se de adaptar o conteúdo adequadamente.

10. Em breve: defina um lembrete de lançamento do produto

Em setembro de 2019, o Instagram começou a testar uma maneira de as empresas oferecerem aos clientes a opção de definir lembretes para lançamentos de produtos.

Marcas seletas estão testando um sticker de lançamento de produto no Instagram Stories que permite que as pessoas se inscrevam se estiverem interessadas em receber notícias sobre novos lançamentos.

Até o momento, ele está disponível apenas para 21 empresas, incluindo Benefit, Levi’s e SoulCycle, mas mantenha os olhos abertos para isso no futuro. Você pode usar o lembrete de lançamento do produto para avaliar o interesse do cliente enquanto coleta uma lista de pessoas que desejam se manter informadas sobre sua marca.

Nunca tinha pensado no Instagram como uma boa plataforma para coletar leads? Então, você já tem excelentes motivos para mudar suas estratégias de marketing!

Quer aprofundar mais o seu conhecimento sobre campanhas em mídias sociais? Então, continue navegando no nosso blog e leia o que já publicamos sobre o assunto.

Categorias
Como usar as redes sociais

Qual é a melhor plataforma de mídia social para o seu negócio?

Todo empreendedor que tem uma loja física sabe que precisa ter um bom ponto de localização para aumentar sua clientela — quanto mais visibilidade, maior a chance de a loja ser conhecida, certo? No meio digital não é diferente, mas com tantos conselhos para marcar presença na internet, como saber qual é a melhor plataforma de mídia social para o seu negócio?

Afinal, se você não tem muita experiência ou um coordenador de marketing dedicado, fica complicado gerenciar diversas contas ao mesmo tempo.

Por isso, trouxemos algumas dicas para que você não perca tempo e dinheiro em plataformas que não contemplem o que o seu negócio precisa, sem deixar de alcançar seus objetivos por estar fora dos lugares onde seu público está.

Não faça suposições

Não faça suposições sobre em que plataformas o seu público gasta seu tempo online. Seu instinto pode dizer que, se você está mirando na Geração Y, deve pular o Facebook e se concentrar no Instagram e Snapchat. Mas os dados mostram que 84% dos Millennials ainda usam o Facebook.

O Hootsuite reuniu informações demográficas para as principais redes sociais. Use-o para ajudar a avaliar onde seu público gasta seu tempo online. Mas lembre-se de que esses dados demográficos são apenas uma visão geral, ok?

Pesquise sobre o seu público

Para garantir que você esteja usando as mídias sociais para os negócios de maneira eficaz, será necessário realizar algumas pesquisas. Isso ajudará você a entender como seu público específico gasta seu tempo online.

Uma das informações primordiais que deve ser levantada tão logo você pense em marcar presença nas redes sociais é sobre o seu público-alvo. Mais do que isso, você precisa elaborar o perfil da sua persona. A partir dele é que você começa a delinear suas estratégias de marketing digital.

Use os canais de formas diferentes

Lembre-se de que estar presente em plataformas de mídias sociais não precisa ser uma abordagem do tipo tudo ou nada. Você pode usar diferentes canais sociais para atingir diferentes públicos ou atingir diferentes objetivos de negócios.

A eMarketer descobriu que muitas marcas, por exemplo, usam mais o Facebook para aquisição de clientes e o Pinterest e o Instagram para e-commerce. Dessa forma, enquanto a postagem do Facebook está vinculada a uma página da campanha, a postagem do Instagram usa o Instagram Shopping para permitir que as pessoas comprem itens em destaque com apenas alguns cliques.

Crie conteúdo relevante

Nenhuma ação nas redes sociais deve ser veiculada solta, sem contexto. É preciso criar conteúdo relevante para a sua persona para que você entenda o que você deve priorizar, quais são as suas habilidades e o que você precisa aperfeiçoar — ou contratar.

Com estratégias de Marketing de Conteúdo e de Mídias Sociais alinhadas ao plano global de negócios da sua empresa, você consegue aumentar a sua visibilidade, engajar o seu público, gerar leads e aumentar a sua taxa de conversão.

Estar presente nas redes sociais hoje em dia é, além de fácil, mandatório. Porém, não é simples escolher qual a melhor plataforma de mídia social para o seu negócio. Seguindo estas dicas rápidas você saberá identificar quais redes são as ideais para a sua empresa e quais objetivos alcançar em cada uma delas.

Quer saber mais sobre mídias sociais? Então, siga nosso perfil no Instagram e curta a nossa página no Facebook. Por lá, compartilhamos mais dicas como estas para melhorar a sua performance nas redes!

Categorias
Como usar as redes sociais Facebook Instagram

Como funciona o leilão em campanhas de Facebook e Instagram?

Para obter sucesso com sua publicidade em redes sociais, você precisa ter um conhecimento profundo sobre o leilão em campanhas do Facebook e do Instagram. Em meio a tantas informações, o seu anúncio deve vencer o da concorrência para alcançar o seu público- alvo.

Muitas pessoas que executam anúncios nessas plataformas provavelmente nem conseguiriam explicar o que é isso ou como funciona. Porém, é um conceito deveras importante e, se você não sabe como atender aos requisitos do leilão, está jogando em desvantagem.

Por isso, elaboramos este artigo para explicar exatamente como funciona o leilão em campanhas do Facebook e do Instagram para que você possa personalizar seus anúncios e, então, obter os melhores resultados possíveis.

O que é o leilão de anúncios do Facebook e do Instagram?

O Facebook e o Instagram querem exibir o melhor anúncio para o usuário em determinado momento, sem que o anunciante precise investir grandes quantias na campanha. Ou seja, as plataformas tentam entregar valor a quem anuncia ao mesmo tempo em que, claro, querem oferecer uma boa experiência para o usuário.

É aí que entra o leilão: o anúncio que ganhar esse leilão é exibido ao usuário. Contudo, esse sistema não funciona como os leilões amplamente conhecidos, isto é, você não ganha simplesmente dando o lance mais alto.

Como Facebook e Instagram querem ambas as partes (público e empresa) satisfeitas ao final do dia, eles levam em consideração alguns fatores em cada campanha veiculada. O anúncio que atender melhor a esses requisitos, entra no feed do usuário.

Isso resulta em anúncios relevantes para o público a custos baixos para os anunciantes. Falaremos sobre esses requisitos mais adiante.

Por que é importante que você saiba como o leilão funciona?

Os lances em anúncios do Instagram e do Facebook têm um efeito enorme nos resultados que você vê com as suas campanhas. Se você não está preparado para o sucesso no leilão, duas coisas podem acontecer:

  1. você pagará muito pelos resultados do anúncio, tornando sua campanha não lucrativa. Caso você não consiga oferecer os lances certos de anúncio, esse é quase um resultado garantido;
  2. seus anúncios nunca serão entregues. Se você não cumprir os critérios de lance, nem terá a chance de ser lucrativo, pois as pessoas simplesmente não poderão ver os seus anúncios.

Segundo o próprio Facebook, compreender como funciona o leilão ajuda que você entenda melhor o desempenho das suas campanhas.

Veja no próximo tópico!

Como funciona o leilão em campanhas do Facebook e do Instagram?

Todos os dias, bilhões de leilões acontecem nas plataformas do Facebook e do Instagram. O leilão de anúncios desses aplicativos funciona calculando o maior valor total. Eles usam um algoritmo para isso, que leva em conta apenas três fatores que definirão o vencedor. Veja a seguir.

LANCE

É o valor que você está disposto a pagar para obter uma conversão ou resultado desejado. Ao criar uma campanha, você informa isso para o aplicativo por meio de estratégias de lances, como:

  • Valor mais alto ou menor custo — obtenha o maior volume de resultados ou valor de compra para o seu orçamento;
  • Limite de custo — controle seus custos e obtenha o máximo de resultados de volume para o seu orçamento;
  • Limite de lance — controle seu lance em cada leilão;
  • Custo alvo — obtenha um custo consistente por resultado.

TAXAS DE AÇÃO ESTIMADAS

O Facebook é o rei dos dados. Eles podem usar seus dados para descobrir a probabilidade de alguém se envolver com seu anúncio ou executar a ação designada que você deseja. Então, eles examinam o histórico dos usuários segmentados e, com isso, eles podem determinar se são bons candidatos para visualizar seu anúncio ou não.

Isso remonta ao desejo do Facebook em criar o maior valor para as duas partes envolvidas. Se eles puderem exibir um anúncio relevante e útil para alguém a um baixo custo para o anunciante, eles o farão.

Entretanto, verifique se você não está dizendo às pessoas para se engajarem ou postarem. Você também deve evitar o clickbaiting, pois essas duas táticas resultarão em um baixo índice de qualidade do anúncio.

QUALIDADE DO ANÚNCIO

O terceiro e último ponto do algoritmo do leilão de campanhas é a qualidade do seu anúncio que, por sua vez, é determinada por vários fatores. Um deles é o tipo de feedback que as pessoas estão dando, após visualizarem seus anúncios. Os usuários podem, por exemplo, ocultá-los, caso não desejem vê-los. Isso é considerado feedback negativo.

O feedback negativo aumentará significativamente os custos do seu anúncio. Talvez pior, no entanto, seja ele afetar a reputação da sua conta. Como resultado de comentários negativos em seus anúncios, você pode ver um aumento no custo em todas as suas campanhas.

Por outro lado, se você tiver um anúncio realmente de alta qualidade, ele terá muitos compartilhamentos e engajamento, como pessoas marcando seus amigos, sem que você precise solicitar. Isso é, essencialmente, publicidade gratuita!

As outras coisas que o algoritmo analisa ao determinar a qualidade do anúncio são o conteúdo e as páginas de destino. Conteúdo de baixa qualidade pode ser descrito como:

  • reter informações no copy;
  • sensacionalismo;
  • isca de engajamento.

Uma página de destino de baixa qualidade pode ser considerada qualquer site que tenha:

  • uma alta taxa de rejeição;
  • nenhum conteúdo original;
  • toneladas de anúncios pop-up;
  • experiência inesperada no site.

Se você tiver um baixo índice de qualidade do anúncio, você saberá. O Facebook enviará uma mensagem de aviso, ou penalizará você. Portanto, apenas evite fazer qualquer coisa que resulte em uma má experiência do usuário, e você deve ficar bem.

Como ganhar o leilão de anúncios do Facebook e do Instagram?

Agora que você sabe um pouco mais sobre o leilão de campanhas do Facebook e do Instagram, estará melhor preparado ao configurá-las. Na verdade, você deve saber como personalizar seus anúncios para oferecer a melhor chance de sucesso no leilão.

Para isso, implemente uma estratégia de lances sólida e verifique se tem um alto índice de qualidade no anúncio. Se você fizer essas coisas, pode confiar que as plataformas exibirão seus anúncios para as pessoas certas, pelo custo certo.

O leilão em campanhas do Facebook e do Instagram é a maneira de as plataformas mensurarem a relevância dos anúncios para os usuários. Seguindo seus requisitos, você alcançará seu público e obterá sucesso com suas investidas.

Quer aprender tudo sobre campanhas de Facebook Ads e Instagram Ads? A edição 2020 da Formação em Social Media está chegando, garanta sua vaga aqui.

Categorias
Uncategorized

O que é o Funil de Marketing Digital? Parte 2

Esta é a segunda parte do nosso post sobre Funil de Marketing Digital. A primeira parte, sobre o que é Funil de Marketing Digital e como criar conteúdo para topo de funil, você pode acessar aqui.

Como vimos no primeiro post, o Funil de Marketing digital é um modelo que representa o comportamento do consumidor na Jornada do Cliente. Entender bem o que ele retrata é essencial para formular estratégias de marketing que sejam efetivas para cada estágio, ou seja, para que você converta seus leads em clientes reais.

Muita gente erra nas suas ações de marketing por acreditar que a geração de leads, apenas, é sinônimo de aumento de vendas. Contudo, no caminho até a concretização dos seus objetivos é preciso nutrir a relação com seus potenciais clientes com conteúdo de qualidade — ou, então, a sua concorrência o fará.

Continue conosco e veja, agora, algumas dicas para criar conteúdo relevante para meio e fundo de funil!

Que tipo de conteúdo criar para meio de funil?

Na etapa conhecida como meio de funil, lidamos com os leads. As pessoas que já entraram em contato com sua marca estão buscando resolver suas necessidades, mesmo que não saibam muito bem como fazer isso. Ou seja, o leitor já conhece o problema, tem segurança para corrigi-lo, mas ainda não sabe qual é a melhor opção para o seu caso.

Isso quer dizer que você tem mais pessoas interessadas na sua marca, mas antes de querer vender uma solução a todo custo, você deve trabalhar para amadurecer as ideias da persona, já que este não é o momento da venda ainda.

Para qualificar seus leads, não desperdiçar seus recursos financeiros e pessoais e, claro, evitar muita dor de cabeça, você deve direcionar o seu conteúdo de modo a não atrair o público que não precisa, de fato, do que você tem a oferecer.

Como assim? Vejamos: a sua marca atende a um ou mais problemas, assim como a um ou mais perfis de consumidores. A meta do conteúdo que nutre o meio de funil é dispor as informações para que os perfis ideais (aqueles que têm as dores que você pode resolver) identifiquem que a sua alternativa é a melhor para eles.

Porém, ao mesmo tempo, você deve apresentar outras possíveis soluções para filtrar os perfis que apresentam os problemas não ideais. Dessa forma, você deve explorar 80% do conteúdo com a sua alternativa e os demais 20% apresentando alternativas paralelas. Estas são destinadas às personas que você não procura atender.

Uma boa sugestão para essa parcela de clientes é usar hiperlinks de parceiros que atendam esse perfil, além de fazer guest posts com esses sites parceiros.

Sendo assim, no meio do funil você pode apostar nas seguintes ferramentas:

  • blog posts: lembre-se de que o conteúdo deve ser focado para um público que já tem um conhecimento básico sobre o assunto. Invista em artigos com informações mais aprofundadas, ou seja, em textos mais ricos em detalhes e dados sobre determinado problema e, claro, como a persona pode resolvê-lo;

  • newsletter personalizada: as newsletters são uma maneira de oferecer conteúdo mais aprofundado que no topo de funil a um publico que já demonstrou estar interessado na sua solução. Assim, forneça informações sobre produtos e serviços, e fale mais sobre a sua marca;

  • e-books: o e-books são ótimas opções para abordar temas que seriam muito extensos para um post no seu blog. É uma boa oportunidade para falar um pouco mais sobre as soluções que a sua marca oferece e esclarecer as dúvidas que o público tem. A vantagem é que o material pode ser disponibilizado em PDF, desde que o lead forneça seus dados de contato. Isso facilita a abordagem para ele seguir avançando na Jornada.

Lembre-se de que a etapa de meio de funil é a que você aproxima o relacionamento com o seu cliente. Portanto, é importante tanto para converter leads em clientes reais como para fidelizá-los.

Que tipo de conteúdo criar para fundo de funil?

Na fase de fundo de funil, os seus leads qualificados transformam-se em oportunidades. Neste momento essas pessoas estão mais preparadas para serem abordadas pelo time de vendas e, mais do que cientes do problema, eles estão em busca da solução numa etapa de consideração e decisão.

É nessa hora que você deve convencê-los de que a sua marca oferece a solução e, claro, é a empresa que ele deve contratar para tal. Como você estabeleceu uma relação de confiança com seus clientes, a sua marca é vista como referência no assunto e eles se sentem seguros para negociar. Nesse momento, mostre que você é o parceiro ideal para eles.

O fundo de funil tem espaço para conteúdos promocionais, que falem abertamente sobre a sua marca, produto ou serviço. É bastante comum oferecer um cupom de desconto, uma demonstração do produto, uma oportunidade para falar com um vendedor ou especialista, um convite para que o leitor entre em contato com a empresa etc.

Além dessas ofertas, você pode oferecer um conteúdo ainda mais profundo para incentivar o fechamento de um negócio. Webinars que explicam como o seu produto funciona, White Papers e outros materiais ricos que foquem em informações mais técnicas, dúvidas mais ouvidas pelos vendedores, metodologia etc. são ótimas opções para o fundo de funil.

Esses materiais deixam a lead mais bem informada, o que pode fazê-la tomar a decisão de compra mais rapidamente, tornando o processo de vendas mais ágil e menos custoso para você.

Lembre-se de que a premissa do Inbound Marketing é educar a sua persona para que ela tome por conta própria a decisão de adquirir o seu produto ou serviço. Então, o conteúdo para fundo de funil deve ser elaborado de forma que mostre o que a sua marca faz sem utilizar os imperativos “Compre” ou “Faça negócios conosco”.

Você pode apostar nos seguintes formatos:

  • webinars: são excelentes formas de esclarecer as dúvidas das leads em tempo real e ainda por cima com uma interação direta. É como se fosse um seminário online em que você gera engajamento imediato dos clientes que encontram oportunidade para conhecer você, perguntar o que a sua empresa faz, testar o seu conhecimento e, por fim, o vejam como autoridade no assunto;

  • minivídeos: aqui, você não terá uma conversa direta com o cliente, mas dispõe de uma boa ferramenta para despertar o interesse dele. Você pode explicar como funciona o trabalho da sua marca, apresentar cases de sucesso de clientes seus, fazer demonstrações do seu produto, falar sobre os diferenciais da sua empresa etc. O importante é que o conteúdo seja condensado, informativo e que venda seu peixe. Funcionam melhor no site do que no blog, pois o cliente pode acessar facilmente em uma navegação rápida;

  • e-books: funcionam tanto para o meio quanto para o fundo de funil, incentivando a lead a permanecer no caminho da decisão de compra. Elabora conteúdo em que a persona já conhece a sua marca e o que você faz, portanto, foque em materiais que apontem os benefícios do seu produto, as vantagens que ela terá se firmar parceria com você;

  • teste grátis do seu produto ou serviço: oferecer um teste temporário pode ser determinante para você ser a escolha de uma lead qualificada. Além de a persona avaliar o que você tem a oferecer, ele pode solicitar a outros tomadores de decisão que validem o seu produto. Lembre-se de ficar atento ao feedback, mesmo que a lead não seja convertida. Além disso, o CTA para testar o produto pode estar no site, na barra lateral do seu blog, na descrição dos seus webinars e demais conteúdos que têm como objetivo gerar engajamento.

Outro ponto importante a destacar é o e-mail marketing. Lembre-se de que o fluxo de nutrição é essencial para estreitar a relação com o cliente e é uma ótima forma para promover o seu conteúdo de fundo de funil e acelerar a conversão.


Conhecer o que é o Funil de Marketing e como funciona a jornada do Cliente é uma premissa para o profissional de Inbound Marketing. Assim, é possível planejar uma estratégia previsível e escalável para atingir e direcionar as personas para as etapas do processo de decisão. Alinhar a estratégia de marketing de conteúdo com cada etapa do funil reduz o custo de venda, atrai mais clientes e amplia a percepção da marca como referência.

Se você gostou das nossas dicas, siga o perfil da Petit no Instagram e não perca nenhum de nossos posts sobre marketing digital!

Categorias
Como usar as redes sociais Empreender em Social Media

O que é o Funil de Marketing Digital? Parte 1

A maneira como as pessoas experienciam o mundo ao seu redor está sempre em movimento, isto é, o comportamento social e cultural da população não é algo estanque e inerte. Quando se trata de marketing, as mudanças foram surpreendentemente marcadas pela internet e o acesso ilimitado às informações.

Antes, as empresas utilizam técnicas invasivas para apresentar o produto aos consumidores e levá-los à compra. Uma programação na televisão é interrompida para forçar o telespectador a assistir a uma propaganda, por exemplo. É claro que esse tipo de abordagem ainda traz resultados, mas fica muito aquém do potencial do Inbound Marketing.

E para atrair, envolver e fazer com que o cliente chegue até você — por interesse próprio — é preciso saber o que é o Funil de Marketing Digital. A partir daí, você pode lançar estratégias para atingir o seu público de maneira certeira.

Quer entender melhor como o Funil de Marketing Digital funciona? Então, continue conosco, pois é sobre isso que falaremos a seguir!

O que é o Funil de Marketing Digital?

A definição do Funil de Marketing Digital é: uma estrutura para ajudar a definir, entender e acompanhar os diferentes estágios pelos quais os compradores passam durante o ciclo de vida do cliente.

Tradicionalmente, o funil era caracterizado como uma jornada linear — os compradores previsivelmente passavam por um estágio de cada vez:

  1. Consciência;

  2. Interesse;

  3. Desejo;

  4. Ação.

Hoje, as estratégias de Inbound Marketing — as quais focam na necessidade e na experiência do cliente em vez de focar no produto — levam o público-alvo até a sua empresa, atraídos pela mensagem que você transmitiu.

Esse conceito, que cria uma relação saudável com o consumidor, leva em conta a etapa em que ele se encontra no funil de vendas — que, hoje se sabe, não é linear, mas sim uma jornada cheia de voltas e reviravoltas:

  1. Consciência;

  2. Consideração — juntamente com o ciclo de pesquisa e descoberta;

  3. Compra;

  4. Experiência pós-compra e o ciclo de fidelidade.

O Funil de Marketing (ou vendas) é o modelo que representa a jornada do seu público, desde o momento em que acontece o primeiro contato com a sua empresa até a compra — e, até mesmo, o pós-venda.

E, mesmo com uma jornada superfluida como apresentamos acima, ter consciência desse modelo é essencial para o profissional do marketing criar estratégias mais certeiras, com táticas direcionadas especialmente para os potenciais clientes em cada etapa do funil.

Isso porque em cada fase do funil, o consumidor tem um nível diferente de interesse. Quem trabalha com marketing sabe que quanto menos genérica for a mensagem, maior é a sua eficiência.

Por exemplo, propor uma oferta de compra para um lead que ainda não está no momento de compra fará com que ele tenha uma percepção negativa da marca. Da mesma forma, não fazer essa oferta para um lead já qualificado e pronto para efetivar a compra é uma oportunidade desperdiçada, concorda?

Quais são os níveis do Funil de Marketing?

O Funil de Marketing é dividido em três níveis: topo, meio e fundo. Cada uma dessas partes tem sua particularidade e necessita de conteúdos e ações específicas para que o marketing seja eficiente.

Topo de Funil — Aprendizado e descoberta

No primeiro estágio do funil de marketing os potenciais clientes ainda não estão buscando contratar uma empresa, nem sabem ao certo que tipo de empresa procurar. Na verdade, aqui, a maioria das pessoas nem sabe que tem um problema, de forma que o objetivo dessa fase é identificar esse problema e incentivar a busca pela sua solução.

Nesse mesmo passo, o publico pode já estar interessado em resolver o problema — ou satisfazer alguma necessidade — e, por isso, buscam se informar e se educar sobre algum mercado.

Meio de Funil — Consideração e intenção

No topo do funil a sua marca atinge um grande número de potenciais clientes, mas nem todos eles se interessarão pelas soluções propostas por você. Contudo, aquelas que foram — de fato — atraídos e acessaram os seus conteúdos começarão a ter mais dúvidas quanto ao problema que enfrentam e buscarão solucioná-lo.

Por isso, essa etapa é considerada a de consideração e intenção. A persona ainda não está pronta para comprar, mas após um bom trabalho aqui, é provável que ela dê um grande passo na sua direção. Em resumo, o objetivo de meio de funil é transformar os visitantes em leads e filtrar os leads bons dos ruins.

Fundo de Funil — Avaliação e decisão

Depois de gerar muitos leads e nutrir essa relação com conteúdos de qualidade, as pessoas que fazem parte do seu funil finalmente entendem qual é a melhor solução para o seu problema. No entanto, eles ainda precisam descobrir qual é a empresa que melhor solucionará o seu problema, aquela que apresenta a melhor oferta.

Aqui, o seu papel é mostrá-los que a sua empresa não somente tem a solução ideal, mas também é a empresa que deve ser contratada, ou seja, você deve apresentar o que você tem a oferecer e colocar a sua marca em evidência para a decisão de compra.

Que tipo de conteúdo criar para o topo de funil?

Muito bem, uma vez entendidas as etapas da jornada do cliente e as fases do Funil de Marketing Digital, você precisa elaborar estratégias para cada um desse momentos da sua persona.

Como dissemos, no topo de funil as pessoas nem sempre sabem quais são os seus problemas, nem sequer que têm um problema. Por isso, não adianta criar conteúdo muito aprofundado, nem oferecer propostas comerciais.

Essa fase é a de aprendizado e descoberta, em que a persona vai tirar dúvidas comuns que a ajudem a conhecer e a esclarecer o tema que está pesquisando. Além disso, ela também descobrirá que encontrou apenas a ponta do iceberg, e que há muito mais por trás do seu problema — e perceberá que uma busca superficial não será suficiente.

Desse modo, o topo de funil deve ter conteúdo que foque exclusivamente em sanar essas dúvidas, sem propor nenhuma oferta de compra. Ou seja, você não deve mencionar seu produto ou serviço, visto que a persona ainda não está pronta para comprar.

Nessa fase é importante que você otimize seus esforços para ter um grande alcance e audiência, já que ao atrair o máximo de pessoas possível você consegue nutri-los e classificá-los até que se tornem clientes reais. Por isso, quando estiver elaborando a estratégia para este estágio, lembre-se das ações que têm maior alcance:

Lembre-se de que o seu potencial cliente ainda não está acostumado com o seu produto ou seu serviço e, por isso, você deve evitar criar material muito aprofundado ou usar termos muito técnicos (e, se precisar, sempre educar a persona explicando os conceitos).

Sendo assim, todo o conteúdo produzido para o topo de funil deve ser geral, ter linguagem fácil de compreender e, ainda, que ajude o leitor a identificar um problema, bem como visualizar as oportunidades de uma solução. Com materiais fáceis de consumir e compartilhar, você educa o seu público a aprender o suficiente para ele querer mais.

Vale destacar que essa é uma boa fase para coletar dados dos consumidores para que você entre em contato e envie mais materiais relevantes para eles. Além disso, esteja sempre atento a buscar informações que o auxiliem a segmentar o seu público, conforme as suas necessidades.

Um dos pontos positivos do topo de funil de marketing é que, ao atrair uma grande audiência, aos poucos a sua marca se torna referência no seu nicho de mercado.

Entender o que é Funil de Marketing Digital e aplicar o conceito em suas estratégias é algo que está diretamente relacionado com o aumento da conversão e, claro, com a geração de lucro e a formação do nome da sua empresa como referência no seu setor.

Esta é a primeira parte do nosso artigo sobre Funil de Marketing, em breve publicaremos a parte 2, com dicas para criar conteúdo para meio e fundo de funil. Quer ficar atento para quando publicarmos? Então, siga nosso perfil no Instagram e fique sempre atualizado com as novidades do marketing digital!

Categorias
Como usar as redes sociais

Como otimizar resultados com o Google Meu Negócio?

Se você tem uma empresa, já deve saber da importância de marcar presença na internet, certo? As boas práticas de SEO, e o investimento em estratégias de marketing de conteúdo e anúncios patrocinados colocam o seu site em posições de destaque nos resultados de busca. Mas você já pensou em otimizar seus resultados com o Google Meu Negócio?

Para quem tem um negócio local, especialmente físico, essa ferramenta oferece possibilidades para que a empresa seja encontrada nos resultados orgânicos do Google. Para quem tem negócios online, a ativação também será mais uma oportunidade de direcionar o público-alvo para o site.

Que tal colocar a sua empresa no mapa? Continue a leitura, descubra o que é o Google Meu Negócio e saiba como ativá-lo!

O que é o Google Meu Negócio?

O Google Meu Negócio é uma plataforma oferecida pelo Google em que empreendedores podem divulgar o seu negócio gratuitamente nos resultados orgânicos de busca (SERP) e no Google Maps.

Com essa ferramenta ativada, diversas funcionalidades passam a ser disponibilizadas para que o seu público-alvo chegue até você. São elas:

  • inserir a localização da sua empresa no Google Maps (o que pode incluir um tour virtual pela sua loja e as rotas para chegar até o seu estabelecimento);

  • acrescentar os dados de contato do negócio, como endereço, site, e-mail e telefone (o usuário pode, inclusive, fazer a ligação a partir do buscador);

  • exibir o horário de funcionamento da sua empresa e, também, as horas de maior movimentação;

  • expor avaliações e comentários de clientes;

  • apresentar fotos do negócio ou estabelecimento;

  • compartilhar o perfil em outras redes sociais.

Essas são informações extremamente úteis para quem procura o seu negócio ou para quem faz pesquisas sobre empresas que atuam na mesma área que a sua. Aliás, é dessa forma que o Google Meu Negócio entra em ação. Os resultados das buscas aparecem por três motivos:

  1. quando o usuário pesquisa um tipo de estabelecimento sem especificar o lugar: o Google leva em consideração a localização do usuário e da sua empresa para entregar as informações de negócios que estejam geograficamente próximos do usuário;

  2. quando o usuário especifica a localização do tipo de estabelecimento que procura: quando o usuário digita “item + nome do bairro/cidade”, o Google mostrará resultados conforme o local especificado na busca. Por exemplo, o usuário que pesquisa “café no centro de Gramado”, terá os estabelecimentos cadastrados no Google Meu Negócio como resultados;

  3. quando o usuário detalha o nome da empresa: caso a pessoa procure diretamente o nome da empresa, as informações estarão disponíveis também.

Perceba que nos dois primeiros casos os resultados das buscas aparecem logo abaixo do campo de pesquisas, antes dos links orgânicos. No terceiro caso, as informações da sua empresa — caso esteja cadastrada no Google Meu Negócio — aparecerão do lado direito da tela, com os detalhes que você disponibilizou.

Demais, não é mesmo? Vale lembrar que você pode controlar todas as informações que deseja exibir nesse resultado e pode editá-las sempre que quiser também.

Como ativar o Google Meu Negócio?

Já começou a imaginar os benefícios que você terá ao cadastrar a sua empresa na plataforma? Para ativar o Google Meu Negócios é muito simples:

  1. acesse a página da plataforma, faça o seu login e clique em “Gerenciar agora”;

  2. preencha as informações na aba “Adicionar seu negócio”. Aqui você coloca o nome da sua empresa, telefone para contato, endereço, site e categoria do negócio. Se você não tem uma loja fixa, pode optar por ocultar seu endereço;

  3. confirme a sua autorização para gerenciar o negócio. Você deve se certificar que as suas informações estão corretas e, depois, preencher a caixa de autorização para gerenciar a sua empresa;

  4. confirme o local da sua empresa. Para confirmar o local do seu estabelecimento o Google enviará uma carta pelos Correios com um código de ativação. A carta leva de 7 a 15 dias úteis para chegar. Vá até a plataforma Google Meu Negócios, clique em “Confirmar agora” e siga as orientações da carta;

  5. adicione mais informações ao seu perfil. Após a confirmação do local, você terá liberdade para incluir mais informações sobre a sua empresa. Lembre-se de incluir fotos do seu negócio!

O Google Meu Negócio é uma excelente forma de ampliar o alcance da sua empresa, atingindo o público quando ele procura pelo seu serviço (especificamente pela sua empresa ou não). Com ele, o seu público tem a possibilidade de conhecer melhor o seu negócio e encontra formas fáceis e rápidas de interagir com você.

Para otimizar os resultados com o Google Meu Negócio, lembre-se de manter suas informações sempre atualizadas e de monitorar as estatísticas de acesso e os resultados de interações do seu perfil. Assim, você terá mais controle sobre os dados e poderá administrar o seu perfil de acordo com a demanda do seu público.

Nosso artigo foi esclarecedor para você? Quer explorar ainda mais essa plataforma? Então, conheça o nosso curso de Planejamento de Conteúdo e saiba como criar publicações certeiras para seu Google Meu Negócio!

Categorias
Como usar as redes sociais

5 dicas para aumentar seu tráfego com o Pinterest

Existem diversas estratégias eficazes para aumentar o tráfego do seu blog ou site, como executar boas práticas de SEO, e-mail marketing, criar conteúdo de qualidade e divulgá-lo em outras plataformas. Quando se trata desta última dica, o Pinterest acaba não estando entre as redes sociais escolhidas pelas marcas e profissionais do marketing.

No entanto, um dado formidável demonstra porque é um erro ainda não estar presente por lá: já são mais de 250 milhões de usuários mensais no Pinterest. E não é só isso, o público da plataforma é altamente engajado, o que faz dela uma excelente oportunidade para melhorar os resultados de qualquer negócio.

Mas como, então, aumentar o tráfego com o Pinterest? Aqui tem 5 dicas para você aproveitar melhor a rede e colher os bons frutos dela. Acompanhe!

1. Aposte em imagens verticais de alta qualidade

O Pinterest é uma rede social focada no compartilhamento de imagens e vídeos. Portanto, ter um perfil com imagens de alta qualidade é premissa sem concessões por aqui.

Invista em imagens verticais, pois a maioria dos usuários abre a plataforma no smartphone. Além disso, nessa orientação é possível incluir textos e informações entregando a melhor experiência para os usuários.

O Pinterest recomenda uma proporção de 2:3 (1000 x 1500 pixels, por exemplo), afirmando que outras podem truncar o Pin ou afetar o desempenho negativamente.

2. Incorpore contexto e otimize seus pins para SEO

Seus pins precisam traduzir a alma do seu negócio e, claro, deixar bem claro que tipo de produto, serviço ou ideia você está oferecendo. Além disso, as imagens devem contar aos usuários por que o que você tem a proporcionar é a melhor escolha para elas.

Ademais, o algoritmo do Pinterest entenderá melhor sobre o conteúdo dos seus Pins se você adicionar alguns dados. Para isso, descreva suas imagens, ofereça contexto e um pouco de informação. Essas são as boas práticas de SEO de alt tag.

Claro, lembre-se de adicionar as palavras-chaves relevantes para o seu conteúdo. É por meio delas que os usuários encontrarão você no Pinterest.

3. Direcione o usuário ao seu blog ou site

Parece uma dica óbvia, mas muitas marcas cometem deslizes aqui. Quando você subir uma imagem no Pinterest, lembre-se sempre de preencher a fonte (source) do seu pin com o endereço do seu blog ou site.

Ao tornar essa prática uma constante, você conseguirá aumentar o seu tráfego com o Pinterest. Junto a isso, adicione descrições interessantes e relevantes e, claro, não esqueça do CTA convidando o usuário a saber mais sobre o assunto no seu blog.

4. Adicione textos nos seus pins

Existe uma grande chance de a sua concorrência não estar no Pinterest. Isso significa que você sai na frente e aumenta a possibilidade de atingir o seu público. Mesmo assim, você ainda precisa lutar para chamar a atenção dos usuários, e uma das melhores formas de fazer isso é incluindo sobreposições de textos às suas imagens.

Textos destacam a sua imagem e reforçam a sua marca. Mas lembre-se de que os textos devem ser curtos e objetivos para facilitar a leitura pelo smartphone.

5. Engaje-se com a sua comunidade e com pessoas influentes

Já sabe, não é? Quando você segue e interage com um usuário em qualquer rede social, a chance de ele te seguir de volta e se engajar com o seu conteúdo é muito maior.

Então, selecione algumas marcas e pessoas interessantes para seguir e compartilhe, também, o conteúdo delas. Ao compartilhar conteúdo de qualidade de outros usuários, você atrai muito mais pessoas interessadas no que o que você posta no Pinterest do que se você usar o seu perfil apenas para promover seus produtos e serviços.

A própria rede sugere perfis com conteúdos similares ao seu para você seguir. Interaja com eles! Lembre-se, também, de sempre ouvir a sua comunidade para saber o que é de interesse dela.

O Pinterest é uma rede de compartilhamento de ideias que não para de crescer e, com essas dicas ficará mais fácil aumentar o seu tráfego usando a plataforma. Esperamos que este post tenha inspirado você!

Quer saber do que gostamos, além disso tudo que falamos por aqui? Então, siga nosso perfil no Pinterest!

Categorias
Como usar as redes sociais Facebook Uncategorized

Como resolver 4 problemas comuns no Facebook

Os seus anúncios no Facebook estão custando muito? O envolvimento do seu público está muito baixo? Há quem diga que o Facebook está morrendo, mas os 127 milhões de usuários mensais no Brasil indicam que a plataforma ainda é um excelente canal para os negócios.

Mesmo assim você tem tido pouco retorno e não sabe como resolver isso? Neste artigo, você encontrará causas e soluções para problemas comuns de marketing de mídia social. Continue conosco e coloque o seu marketing do Facebook de volta no caminho certo!

1. Suas publicações no Facebook recebem pouco envolvimento

Apesar de publicar regularmente no Facebook, seu engajamento é baixo ou inexistente. Você tentou vários tipos de publicações, em diferentes horários do dia e da semana, e ainda não está vendo resultados.

Possíveis causas e soluções

Você não entende realmente o seu público do Facebook nem o comportamento deles.

É crucial que você entenda quem é o seu público no Facebook e quais tópicos eles querem ver e ouvir, para que você possa preencher essas lacunas com conteúdo interessante ou de entretenimento. Verifique suas informações do público-alvo do Facebook para ver exatamente quem é a sua audiência e o que a interessa, além de verificar que horas e dias está on-line.

Para acessar seus Insights, abra o Gerenciador de Negócios, passe o mouse sobre Todas as Ferramentas e selecione Insights do público-alvo. Na janela pop-up, selecione Pessoas conectadas à sua página.

Na barra lateral esquerda, selecione sua página do Facebook para ver informações detalhadas sobre seus seguidores. Clique nas guias à direita para saber mais sobre a demografia desse público, seus interesses, localizações geográficas e muito mais.

Você não está exibindo nenhum conteúdo novo, interessante ou relevante do Facebook.

Se você continuar criando o mesmo conteúdo no Facebook ou os mesmos tipos de anúncios, continuará vendo os mesmos resultados ou nenhum resultado. A mídia social muda constantemente e o que funciona em um mês pode não funcionar no seguinte.

Para ficar à frente do algoritmo, sua estratégia de marketing e conteúdo do Facebook precisa estar em constante evolução. Caso contrário, seus resultados diminuirão ou ficarão estagnados.

Procure sempre fornecer conteúdo que seja útil, informativo e interessante, em vez de conteúdo que simplesmente preencha seus objetivos comerciais ou pessoais. Acompanhe o que está funcionando no seu marketing do Facebook e faça mais isso. Relatórios consistentes e regulares são essenciais para entender o que funcionará na próxima vez e o que não funcionará.

Veja também o que está dando certo nas páginas de seus concorrentes. Mas não copie o que eles estão fazendo. Ao contrário, tire lições e use-as para criar conteúdo ainda melhor e mais exclusivo que o dos concorrentes.

Se você não tiver certeza sobre o que publicar, pergunte aos seus seguidores em que tipo de conteúdo eles estão interessados. Faça uma pesquisa no Facebook em sua página ou faça perguntas para descobrir o que eles querem ver. Aqui estão algumas boas dezenas de dicas para você criar conteúdo!

Você também pode enviar uma mensagem direta para as pessoas que já conversaram com sua página e oferecer um incentivo (como um prêmio ou um desconto) para simplesmente responder a perguntas sobre o que lhes interessa. Se você não obtiver respostas suficientes, pergunte novamente ou forneça um incentivo melhor.

Se você tem uma loja, pergunte à sua base de clientes atual o que eles estão procurando ou, ainda, considere algumas das perguntas frequentes e tente respondê-las por meio do seu conteúdo.

Veja, por exemplo, o conteúdo que criamos para a RCD Ambientare para desvendar os símbolos contidos nas etiquetas de roupas. Dúvidas extremamente comuns que renderam ótimas publicações!

Um conteúdo evergreen e de qualidade sempre será popular, mas se você ocasionalmente aproveitar as tendências atuais com rapidez, seu conteúdo terá o potencial de se espalhar para um público mais amplo. Nem todo mundo está fazendo isso (muito menos empresas) porque o conteúdo rápido, on-trend e responsivo leva tempo e recursos para coordenar.

Use ferramentas como o Google Trends, o BuzzSumo ou o Feedly para pesquisar conteúdo de tendências. Com o Feedly, você pode configurar alertas do Google, seguir páginas em diferentes categorias (ou pesquisar tendências manualmente) e salvar artigos para ler mais tarde.

Quando você planeja publicações no Facebook em seu calendário de conteúdo de mídia social, deixe lacunas para uma ou duas publicações mais oportunas e adicione-as quando encontrar uma tendência cultural relevante que funcione para sua página do Facebook.

2. O engajamento é alto, mas as conversões são baixas

Você está recebendo um envolvimento fantástico no Facebook. Os usuários estão curtindo, comentando e compartilhando suas publicações. Bom para você! O problema é que o engajamento simplesmente não está se traduzindo em vendas, leads ou quaisquer que sejam seus objetivos gerais.

Possíveis Causas e Soluções

Seu conteúdo do Facebook tem um bom desempenho, mas não é relevante para seus produtos ou serviços.

Os usuários do Facebook podem ter algum interesse em sua empresa ou página, mas sua motivação para seguir você é o conteúdo de qualidade. Isso não é bom em longo prazo, especialmente se a manutenção da sua atual estratégia de marketing do Facebook tiver um alto custo para você em termos de tempo ou dinheiro.

No entanto, não é uma posição tão ruim estar “no curto prazo”. Você entende claramente o que seus clientes gostam; você só precisa considerar como você pode usar o Facebook para converter esses fãs em superfãs e clientes.

Se você está tentando vender um produto ou serviço, seu conteúdo no Facebook precisa ser relevante não apenas para o seu público, mas também para a sua empresa. Cada parte do conteúdo deve atender a uma meta específica (mesmo que essa meta seja meramente divertida) e deve ficar nesse ponto ideal entre as necessidades de seu público e suas metas de negócios.

Olha só este conteúdo que criamos para o Empório Canela, outro cliente nosso. A publicação sobre o livro deles que permite que os consumidores façam em casa os seus pratos prediletos é um ótimo exemplo de conteúdo que alinha o produto à marca deles.

Se o seu conteúdo já for ótimo, tenha cuidado ao alterar as coisas de maneira muito drástica e rápida demais. Você não quer que os usuários desativem ou deixem de seguir sua página porque você não está mais fornecendo o tipo de conteúdo que eles gostam, não é mesmo?

Então, tente manter a integridade e a personalidade da sua presença no Facebook, além de continuar entregando as mensagens que você precisa entregar. Seu público ama memes engraçados? Você pode criar memes originais sobre suas vendas, produtos ou serviços que falam sobre os pontos de dor ou de paixão dos clientes, como abrir uma caixa de seus produtos, aguardar seus produtos chegarem ou ter a necessidade de seus serviços.

Portanto, transforme suas mensagens comerciais em seu conteúdo do Facebook de maneira relevante sem comprometer a qualidade.

Você não criou um funil de anúncios no Facebook eficaz.

Seus seguidores no Facebook gostam do seu conteúdo e eles até têm o potencial de converter, mas não estão chegando lá. Isso não necessariamente acontecerá, contanto que você tenha uma estratégia eficaz.

Use os Facebook Ads para segmentar esses usuários em todos os estágios do funil, especialmente nas fases mais avançadas. Em um nível básico, se você tiver um site, você deve ter o pixel do Facebook. Talvez você já tenha até direcionado usuários para o seu website. Usando o pixel do Facebook, redirecione os usuários que já visitaram o seu site ou, até mesmo, os usuários que clicaram em páginas específicas com mensagens de vendas direcionadas.

Envie a eles um código de desconto ou uma oferta por tempo limitado. Ou nos anúncios para geração de leads, ofereça um e-book contendo conselhos úteis em troca de suas informações.

3. Feedback negativo na sua página do Facebook é comum

Os usuários estão deixando de seguir sua página no Facebook, ou você está recebendo reações negativas, comentários ou mensagens diretas para a página. Isso pode ser um sinal de que você precisa alterar sua estratégia de marketing do Facebook ou pode indicar problemas maiores com sua página.

Possíveis Causas e Soluções

Você não responde a comentários e perguntas no Facebook.

Se você não estiver reconhecendo comentários e perguntas, ou se estiver usando respostas padrão para perguntas que precisam ser abordadas separadamente ou personalizadas para determinado usuário, seu público ficará cada vez mais frustrado.

Um processo abrangente de gerenciamento da comunidade resolverá muitos desses problemas, e será muito útil se mais de uma pessoa estiver ajudando a gerenciar sua presença no Facebook. Esse processo deve incluir:

  • um documento abrangente das perguntas frequentes (FAQ) que você pode ajustar para usuários individuais e seus questionamentos e necessidades específicas;

  • um processo de escalonamento para determinar o que acontece com as dúvidas que começam a sair do controle;

  • uma pessoa dedicada para gerenciar a página e responder à maioria dos questionamentos.

4. Os custos dos seus Facebook Ads são muito altos

Não importa o que você faça, os custos dos seus anúncios no Facebook estão bem acima dos benchmarks, mas você não tem certeza de como corrigi-los. Você está investindo muito dinheiro em redes sociais pagas e tendo resultados mínimos.

Possíveis Causas e Soluções

Sua segmentação de anúncios do Facebook está desativada.

Sua segmentação pode ser muito ampla ou esse público pode ser muito competitivo. Felizmente, existem muitas maneiras de descobrir novos públicos para suas campanhas no Facebook. Você só precisa tentar coisas diferentes, testar um aspecto de cada vez e registrar o que está funcionando e quando.

Certas segmentações podem até ser competitivas apenas em determinadas épocas do ano. Para ilustrar, se você for uma empresa B2C que vende presentes segmentados para homens antes do Dia dos Namorados, isso tornará esse grupo de segmentação mais competitivo, aumentando os custos de anúncios em torno desse período. Considere estas flutuações ao orçamentar.

Outra possível causa é que sua mensagem não é forte o suficiente ou relevante para esse grupo. Revise o texto do seu anúncio e seja criativo. É atraente o suficiente para o seu público-alvo? Aqui estão algumas dicas para escrever textos de anúncios eficazes no Facebook:

  • adapte o seu texto ao seu mercado-alvo. Você está usando a linguagem correta? Se você estiver vendendo relógios masculinos de luxo, o texto do anúncio e seus recursos criativos devem parecer premium. Por outro lado, às vezes, um texto chamativo pode funcionar para um produto com um preço baixo;

  • escreva um texto curto, conciso e cativante, sem palavras desnecessárias;

  • faça um texto convincente. Idem para o seu título.

Embora o texto do anúncio seja importante, o fator criativo do seu anúncio é crucial. Tente testar diferentes imagens, vídeos, carrosséis ou Canvas e sempre registre seus resultados à medida que avança. Teste o tipo de imagem. Seus anúncios funcionam se eles apresentam imagens de pessoas? Um certo tipo de visual funciona melhor que outros?

Se o olho de uma pessoa for direto para a imagem em vez do texto, faz sentido ter texto na imagem. Mas lembre-se de que o Facebook permitirá apenas 20% de texto para imagens usadas em anúncios.

Você não está testando e otimizando seus anúncios do Facebook corretamente.

Com os anúncios do Facebook, muito do que fazemos é aprendido com testes A/B. É importante testar apenas um aspecto dos seus anúncios de uma vez para que você possa entender exatamente o que está funcionando e otimizar corretamente. Se você estiver usando 20 interesses diferentes em sua segmentação e alterando constantemente os tipos de texto e anúncio, não será possível reunir insights definitivos em longo prazo.

Fazer testes em campanhas é uma ação primordial do marketing digital.

Você não está usando as plataformas certas para os tipos de anúncios certos.

Algumas pessoas descobrirão que determinados tipos de anúncios funcionam melhor em plataformas diferentes. Por exemplo, a geração de leads pode funcionar bem no Facebook, enquanto um conteúdo promovido funciona bem no Twitter, e os anúncios de tráfego podem funcionar melhor no Instagram. Mais uma vez: o teste é uma parte crucial do processo.

Criar uma estratégia de marketing eficaz no Facebook que se traduza em resultados definitivos para o seu negócio nem sempre é fácil. O algoritmo muda com frequência, por isso sua abordagem precisa estar em constante evolução para atingir seus objetivos. Com essas dicas para resolver problemas comuns que você provavelmente encontrará no Facebook você poderá reativar seus esforços de marketing.

Como você pôde notar ao longo do post, aqui na Petit nós não ficamos apenas na teoria. Nós fazemos na prática tudo aquilo que ensinamos. E por aqui estamos tendo ótimos resultados.

E você? Que tal aprofundar seu conhecimento e aperfeiçoar suas estratégias de marketing de mídias sociais? Inscreva-se no nosso curso de Formação em Social Media e tenha melhores resultados para as suas campanhas!