Categorias
Copywriting Empreender em Social Media

Como criar uma página de vendas que realmente venda?

Seu site não está trazendo resultados para você? Uma boa página de vendas tem uma anatomia própria, aqui tem um modelo de 8 partes que você pode colocar em prática hoje mesmo.

Parte 1 – Títulos e subtítulos

Você já deve saber que nem todo mundo lê uma página de vendas até o fim. Isso acontece porque algumas pessoas são mais impulsivas que outras.

Quem age por impulso vai ler menos e decidir antes. Quem precisa se sentir 100% seguro na compra, vai precisar de mais estímulo (e mais texto) antes de clicar em Comprar.

É por isso que uma boa página de vendas contempla essas diferentes personalidades. E é por isso que seu título e subtítulo precisam ser impactantes, deixar claro o que é o produto ou serviço, e fazer a pessoa que está do outro lado parar tudo o que está fazendo para ler.

Para isso, você precisa focar em:

  • Qual é o benefício central do seu produto ou serviço?
  • Como você pode despertar alguma emoção no consumidor?

O resultado precisa ser uma frase que diga tudo (os exemplos são extremos, para deixar clara a ideia, não leve muito a sério, ok?), como:

“Você comete estes erros na limpeza da sua pele?” – Poderia ser a chamada para um kit de limpeza, tonificação e hidratação.

“Que hábito você quer mudar em 21 dias?” – Poderia ser a chamada para um curso que ensine a focar em novos comportamentos.

“Seu sorriso branco em 3 semanas” – Poderia ser a chamada para a venda de um serviço de clareamento dental.

Parte 2 – Qual é a maior frustração do seu cliente?

Depois de criar títulos e subtítulos, chegou a hora de começar a escrever seu texto. O melhor caminho a seguir é ter como ponto de partida a maior frustração do seu cliente. Uma boa forma de fazer isso é usando a estrutura de perguntas, como:

“Sua pele perdeu o brilho?”

“Você já tentou fazer algo novo, mas largou a ideia no meio do caminho?”

“Você deixa de sorrir nas fotos por ter vergonha do seu sorriso?”

Parte 3 – Apresente sua solução

Chegou seu momento de brilhar. Agora você deve apresentar a forma como seu produto ou serviço pode ser a solução para seu cliente. Para isso, apresente benefícios e características, mas mantenha sempre um foco maior nos benefícios.

Tenha o cuidado de descrever tudo em detalhes e sempre deixar claro a importância de cada um dos itens. Por exemplo: se seu curso sobre hábitos incluir uma consultoria individual, explique como ela é um ponto que diferencia seu curso dos demais.

Nesta etapa, poderíamos ter frases como:

“Imagine se você pudesse trazer de volta a vitalidade da sua pele.”

“E se você pudesse desenvolver estratégias para não abandonar novos hábitos?”

“Nós temos a solução que vai trazer de volta seu sorriso.”

Parte 4 – Apresente sua oferta

Chegamos à chamada para ação (ou CTA – call to action). Se você olhar a página da Formação em Social Media verá que a CTA está na parte superior. Isso porque a pessoa do outro lado pode já estar pronta para a venda. Mas você pode (e deve) testar diferentes posicionamentos da CTA na página para entender como seu público reage e o que traz a maior conversão.

O texto do botão que inicia o processo de compra pode ser simples, como: Comprar; Comprar agora; Fazer inscrição. Ou pode ser uma versão um pouco mais elaborada, como: Eu quero!; Quero aproveitar esta oferta; Estou pronta para mudar minha vida.

Importante: esta seção da página precisa trazer informações sobre forma de pagamento, o que está incluído, duração da oferta, enfim, tudo o que pode ser necessário para acabar com qualquer dúvida do comprador.

Passo 5 – Quem é você?

É fundamental se apresentar para seu consumidor. O foco desta apresentação é contar as razões que tornam você a pessoa indicada para fazer esse produto ou serviço dar certo. Estruture uma bio curta, com detalhes da sua formação e experiência, apresentando o que diferencia você ou sua empresa das demais.

E, claro, insira uma foto sua. 🙂 Fotos transmitem ainda mais segurança.

Passo 6 – Selecione seu público

Não interessa o que você esteja vendendo, este produto ou serviço não é adequado para todo o mundo. Então, estruture uma lista de quais são as pessoas que mais podem se beneficiar do seu produto ou serviço.

Para introduzir essa seção, você pode usar frases como:

“Este produto é o certo para você?”

“Quem deve usar este produto?”

Assim, se a pessoa não se encaixar naquelas características, ela poderá seguir adiante e você não terá que se preocupar com reembolsos no futuro.

Passo 7 – Perguntas Frequentes

O que as pessoas deveriam estar se perguntando ao entrar em contato com seu produto? A lista de Perguntas Frequentes é importante para tornar clara alguma dúvida que seus clientes tenham, mas ela é mais importante ainda, para abordar as objeções mais comuns ao seu produto.

Apresente essa seção em formato de perguntas e respostas, de forma a deixar as informações claras e acabar com qualquer dúvida que esteja impedindo a pessoa de finalizar a compra.

Passo 8 – Avaliações

Sabe o que vende mais que a sua página? Outras pessoas.

Ter avaliações publicadas (seja em formato de estrelinhas, seja em formato de depoimentos) é importante para demonstrar que seu produto é real e que ele entrega o resultado oferecido por você no decorrer da página. Além disso, trazer avaliações de outras pessoas faz com que sua oferta seja ainda mais confiável. o que aumenta o desejo do comprador.

Categorias
Copywriting Escrita Criativa em Mídias Sociais

Por que você precisa planejar seu conteúdo de mídias sociais?

Alguma vez você já sentiu que estava sem criatividade alguma para criar conteúdo para as mídias sociais? Em meio a tantas ofertas, você já não sabe mais como se destacar no feed de notícias do seu público? A solução para essas questões pode ser simples: saiba planejar seu conteúdo.

Passar todos os dias pensando nas estratégias para publicar interfere na otimização do seu tempo, além de lhe deixar ansioso. Estar presente nas mídias sociais não basta; é preciso entregar conteúdo relevante para a sua audiência, e mais: manter a consistência nas postagens.

Mas como planejar o conteúdo nas mídias sociais? De que forma esse planejamento melhora o engajamento dos clientes? É sobre isso que falaremos a seguir. Vamos lá?

Por que você deve planejar o conteúdo das mídias sociais?

À medida que o alcance orgânico das postagens de empresas diminui — devido às mudanças no algoritmo do Facebook e à competição por visibilidade —, fazer um bom planejamento de conteúdo ajuda você a escapar da preguiça e da desorganização na publicação de posts.

Veja a seguir algumas razões para você planejar seu conteúdo:

Não perder datas importantes

É importante para a sua marca celebrar o Dia Nacional do Café? Um calendário de conteúdo fará com que seus seguidores interajam com você em datas especiais.

Ter um cronograma consistente de publicações

Manter a consistência das postagens nas plataformas sociais é uma das melhores formas de garantir o engajamento do público. Postagens regulares fazem com que seus clientes esperem e se envolvam com o conteúdo, criando um relacionamento longo e duradouro — que leva às vendas.

Encontrar o seu mix de conteúdo ideal

Por meio de testes ao longo do tempo, você encontrará o mix de conteúdo que funciona para o seu público. Mas, para começar, a regra 80/20 ajuda: 80% de conteúdo educacional e divertido, 20% vendendo o seu produto.

Economizar tempo

Planejar o conteúdo futuro dos posts em mídias sociais faz com que você não precise se preocupar com o relógio constantemente.

Distribuir recursos efetivamente

Ótimos posts envolvem redatores, designers, editores de vídeos etc. O trabalho de qualidade requer tempo e as mensagens de última hora tendem a gerar um efeito cascata em toda a organização. A procrastinação é cara.

Evitar erros entre plataformas

Evite parecer tolo e desorganizado para os seus seguidores. Um calendário de conteúdo de mídia social permite que você escreva legendas exclusivas para cada plataforma social com antecedência.

Garantir conteúdo sempre fresquinho

O planejamento é também um registro de tudo o que você já publicou. Verifique se você não está se repetindo.

Descobrir o que funciona

Ter um registro das postagens facilita a avaliação dos resultados. Talvez publicações às quintas-feiras tenham melhor desempenho para a sua marca. Talvez seus seguidores no Instagram gostem de uma postagem por dia, enquanto os do LinkedIn prefiram quatro. Teste até encontrar a programação ideal para você.

Como organizar o calendário de conteúdo?

Veja, agora, algumas dicas rápidas para organizar o seu calendário:

Comece com uma auditoria de mídia social

A auditoria de mídia social é, basicamente, uma lista dos seus esforços atuais, para compreender o que traz resultados e o que pode ser descartado. Faça perguntas como “quais plataformas você está usando?”, “quais estão tendo melhor desempenho?”, “você deveria continuar publicando para todos eles?”.

Faça uma auditoria de conteúdo

Siga o mesmo trabalho descrito acima com as suas publicações. Algum conteúdo que você pretende publicar está desatualizado? Pode ser atualizado ou deveria ser desfeito? Que tipo de coisas seus concorrentes estão postando?

Familiarize-se com os dados demográficos das redes

Cada rede social fala para um público distinto e isso molda o conteúdo que você deverá compartilhar.

Determine sua frequência de publicação

Se você já fez uma auditoria de mídia social, você sabe quantas vezes está postando em cada rede social. Esse será o plano daqui para frente ou você vai mudar as coisas? Tome uma decisão agora, mesmo que você ajuste mais tarde.

Classifique seu conteúdo

Seu calendário deve ter algum tipo de sistema de categorização de conteúdo. Isso ajuda você a rastrear o tipo de conteúdo que seus seguidores mais gostam.

Configure um arquivo de conteúdo

Organize um banco de dados (uma planilha simples) com todas as partes de conteúdo que você pode facilmente escolher ao criar seu calendário.

Determine as necessidades do seu calendário

Qual nível de detalhe seu calendário exige? Você precisa de uma planilha separada para cada rede ou todas elas podem caber em um?

Insira seu conteúdo (e estabeleça um processo)

Preencha seu calendário com conteúdo incrível, mas certifique-se da organização. Quem é responsável por atualizar o calendário? A mesma pessoa também será responsável por agendar e publicar as postagens? As postagens precisam ser aprovadas por alguém antes de serem publicadas?

Programe seu conteúdo para publicação

Esse é o passo que vai lhe poupar muito tempo, dinheiro e inteligência. Use ferramentas para agendar a publicação do conteúdo que você cuidadosamente criou, para que você não precise pressionar “enviar” 25 vezes por dia.

Ao pensar em planejar o conteúdo para mídias sociais, lembre-se de que “falhar em se preparar é se preparar para falhar”.

Quando estiver com a sensação de falta de criatividade ou conteúdo relevante, lembre-se que seu público quer saber por que você faz o que você faz. Explore conteúdos educacionais, resolva problemas e tire dúvidas frequentes de seus clientes sobre o seu nicho. Revele seus segredos, abrace as suas particularidades e tenha em mente que sempre há uma nova história para contar.

Que tal continuar sua leitura para ter mais insights sobre criação de conteúdo? Acesse o nosso blog e aproveite todas as nossas dicas!

Categorias
Como usar as redes sociais Copywriting Escrita Criativa em Mídias Sociais

Textos curtos ou longos, o que é melhor para sua estratégia de mídias sociais?

As mídias sociais permitem que você use variados formatos de publicações e anúncios, e você talvez já saiba que imagens e vídeos são campeões de interação nas redes. Mas a escolha do tipo de publicação sozinha não basta para ter sucesso, é preciso usar chamadas criativas, educativas ou informativas para engajar seu público.

Ao criar as suas chamadas, você já deve ter se perguntado qual é o tamanho ideal do texto: curto ou longo? O número de caracteres das suas publicações em si não é a maior questão a considerar, precisamos levar em conta, também, o equilíbrio entre a qualidade e a quantidade de conteúdo ideal para você maximizar o engajamento das suas publicações.

Considerando que o texto é uma variável importante, podendo ser uma única palavra ou uma breve história, o que é melhor para a sua estratégia nas mídias sociais? Textos longos ou curtos? Trouxemos alguns dados e dicas para ajudar você. Vamos lá?

Qual é o tamanho ideal de textos para o Facebook?

Jeff Bullas diz que 40 caracteres é o número mágico para chamadas no Facebook. Segundo ele, as taxas de engajamento nesse caso são de 86%. O problema é que isso é muito pouco. Em campanhas de marketing digital, é praticamente impossível criar publicações de qualidade com 40 caracteres.

Quando a chamada aumenta para 80 caracteres, a taxa de engajamento cai para 66% (nada mal, convenhamos). A maioria dos profissionais de marketing acredita que textos curtos obtêm melhores resultados que textos longos. Mas será que eles estão certos?

A AdEspresso realizou um experimento que desafia essa crença. Nele, eles testaram 7 anúncios diferentes para a mesma oferta, em que a única coisa que mudava era a chamada. Aqui está um resumo do teste:

  • variação A: uma frase, versão A (afirmação + dados);

  • variação B: uma frase, versão B (pergunta);

  • variação C: lista;

  • variação D: lista + emojis;

  • variação E: um parágrafo;

  • variação F: 3 parágrafos;

  • variação G: 6 parágrafos.

Se você aposta na variação A, você tem a mesma opinião da maioria dos profissionais que responderam a essa pergunta do AdEspresso. Porém, essa versão não só não venceu como também teve um CPA (Custo Por Ação) muito alto.

Agora veja os resultados de cada teste, com o número de leads gerados e seu respectivo CPA (em dólar):

  • um parágrafo: 32 leads, CPA $ 4.83;

  • 3 parágrafos: 28 leads, CPA $ 5.40;

  • 6 parágrafos: 27 leads, CPA $ 5.44;

  • lista: 25 leads, CPA $ 5.64;

  • lista + emojis: 20 leads, CPA $ 7.38;

  • uma sentença versão A: 13 leads, CPA $ 10.82;

  • uma sentença versão B: 12 leads, CPA $ 11.74.

Como saber qual o melhor tamanho de texto para cada anúncio?

Esses dados apresentados sugerem, então, que você padronize todas as suas campanhas em um formato com um parágrafo de texto? Não necessariamente. No fim das contas, (quase) tudo depende do produto ou serviço oferecido.

Algumas proposições de valor são óbvias e podem ser transmitidas em meia dúzia de palavras, especialmente para marcas ou itens bem conhecidos. Para algo mais complexo, porém, o usuário precisa de mais informações para compreender esse valor.

Além disso, o tamanho do texto também é definido pelo seu público. Conheça muito bem a sua persona para, então, produzir conteúdos de alta qualidade para ela. Por exemplo, se seu público pertencer à geração Baby Boomer, há mais chances de que seus textos sejam lidos por inteiro do que se o público for da Geração Z.

Textos longos têm um histórico de má reputação no marketing digital. As pessoas adoram dizer que ninguém lê online — e isso pode, de fato, ser muito verdadeiro. Mas qualquer copywriter bom em gerar conversões lhe dirá o seguinte: não escreva para as pessoas que não leem online. Escreva para as que leem.

Como descobrir o que funciona para o seu negócio? Não assuma nada de antemão, faça testes! Você pode, por exemplo, inserir perguntas no seu texto para gerar mais engajamento do público com menos caracteres. Quem sabe um bom storytelling em seus anúncios?

E quanto às outras mídias sociais?

Veja, a seguir, o tamanho de textos indicados para outras mídias sociais:

  • Instagram: as legendas proporcionam contexto às imagens e aos vídeos, então, se você quer aumentar o engajamento, mantenha 138-150 caracteres (o Facebook recomenda que sejam 125);

  • Twitter: anúncios com 100 caracteres têm mais comentários e retweets;

  • E-mail marketing: o assunto de um e-mail deve conter de 28 a 39 caracteres;

  • Pinterest: a descrição de uma imagem deve ter até 200 caracteres;

  • Blog post: para a Hubspot, um post de 1600 palavras é o ideal, porém, é imprescindível conhecer o seu público (posts de 500 palavras podem ser mais efetivos para o seu).

Quantas vezes você já ouvir falar que “conteúdo é tudo“? Que clichê! Sim, mas é verdade. Conteúdo é fundamental. O Google, inclusive, avalia com severidade a qualidade dos textos e o quão satisfatório eles são para os usuários. Os dados da Backlinko mostram que textos longos são mais bem ranqueados que textos curtos.

Mas nem sempre os textos longos têm maior qualidade que os textos curtos. A questão é que textos longos tendem a solucionar os problemas das pessoas melhor do que os curtos, e o Google deseja exibir nas primeiras posições os conteúdos que gerem mais satisfação nos seus usuários.

Mas não precisamos nem comentar que você não deve sair criando textos longos, cheios de abobrinhas, apenas para enquadrá-los no número ideal de palavras, não é mesmo? Então, se você quer colher bons frutos em longo prazo, crie conteúdo de qualidade que realmente seja útil para a sua audiência.

Faça pesquisas, testes e análises originais e ofereça informações exclusivas, que seus concorrentes não oferecem. Mas não permita que o calendário de conteúdo de post com texto curto ou post com texto longo dite as regras das suas ações de marketing nas mídias sociais.

Estas foram só algumas dicas de como criar boas campanhas de marketing digital. Há, ainda, uma vastidão de pontos para serem explorados.

Quer se aprofundar no assunto e produzir as melhores estratégias de marketing para o seu negócio ou para os seus clientes? Então, se inscreva no nosso curso de Planejamento de Conteúdo para Mídias Sociais e aprenda a direcionar suas ações para engajar seu público!

Categorias
Copywriting Escrita Criativa em Mídias Sociais Escrita Criativa para Mídias Sociais

5 Dicas de Copywriting para Mudar seus Resultados em Mídias Sociais

Se você quer ser um ótimo redator de mídia social — especialmente quando está trabalhando para aumentar o arsenal das campanhas de marketing — aprender algumas das noções básicas de Copywriting recompensará você exponencialmente em termos de geração de leads, coleta de conteúdo gerado pelo usuário e engajamento geral.

Pergunte a qualquer escritor e ele lhe dirá: todo e qualquer tipo de escrita exige um conjunto diferente de habilidades. Você não escreve um post no blog como você escreveria um Tweet.

Grandes empresas podem se dar o luxo de ter equipes especializadas de escritores que dominam um tipo específico de escrita. Mas se você é como a maioria das organizações, você e/ou seus escritores têm que usar muitos chapéus. Há um tipo de chapéu que nunca sai de moda no mundo das campanhas de mídia social (não é um Panamá). É uma forma incompreendida e um pouco antiquada, mas que funciona: Copywriting.

Mas o que é Copywriting e como ele pode te ajudar? Continue a leitura, vamos explicar!

O que é Copywriting?

Não existe uma tradução direta para Copywriting em português (em inglês, Conversion Copywriting), mas a técnica pode ser entendida como escrita persuasiva ou, ainda, escrita focada em conversão. O Copywriting usa diversas estratégias e gatilhos — como curiosidade, urgência, escassez e storytelling — para estimular e incentivar a persona a tomar uma decisão. Essa decisão pode ser assinar a newsletter, seguir nas redes sociais ou, até mesmo, realizar uma compra.

Em resumo, é o ato de escrever um texto (chamado de copy) que tem como objetivo aumentar o reconhecimento da marca e, finalmente, convencer uma pessoa a realizar determinada ação.

Quais os segredos do Copywriting?

Aqui estão cinco princípios básicos de Copywriting que colocarão você em vantagem quando estiver executando campanhas de mídia social.

1. Fale a linguagem dos seus fãs

Como você sabe, não há duas empresas com públicos iguais. Mesmo quando elas oferecem produtos similares, as pequenas diferenças são suficientes para atrair segmentos diferentes do público. Cada combinação única de dados demográficos (idade, sexo, localização, interesses, comportamentos) cria um público diferente com prioridades, necessidades e desejos únicos.

A maior dessas prioridades é como eles escolhem gastar seu tempo: se seus produtos são principalmente para profissionais de meia-idade, eles terão tempo ou disposição para participar de sorteios no Instagram? O tipo de campanha em si deve atender às necessidades e habilidades de seus seguidores.

Se você está tentando aumentar sua base de fãs e aumentar o seu alcance com dados demográficos do público-alvo por meio de campanhas sociais, é preciso pensar no quanto a sua mensagem pode ser sugestionável para atingi-los também.

Uma maneira importante de usar esse conhecimento é na sua escolha da linguagem. Os Millennials e a Geração Z não vão gostar de um discurso formal; os Boomers não querem ler sobre como seus produtos são hype (embora sejam totalmente).

Isso vai para como você formata o seu texto também. Quanto mais avançada for a idade do seu público, maior a probabilidade de eles terem a paciência para ler um texto mais longo. Cada palavra do corpo do texto influencia a maneira como os espectadores e leitores interpretam a mensagem que você está tentando transmitir.

Em 1975, pesquisadores da Universidade de Washington queriam estudar a confiabilidade de testemunhas oculares. Os alunos foram convidados a assistir a imagens de um acidente de carro e, em seguida, adivinhar a rapidez com que os carros se moviam quando causavam impacto. Só havia cinco variantes diferentes da questão e cada uma usava um verbo diferente.

Condição 1: “Com que velocidade os carros estavam indo quando se chocaram?”

Condição 2: “Com que velocidade os carros estavam indo quando colidiram um com o outro?”

Condição 3: “Com que velocidade os carros estavam indo quando se esbarraram?”

Condição 4: “Com que velocidade os carros estavam indo quando se bateram?”

Condição 5: “Com que velocidade os carros estavam indo quando entraram em contato?”

Eles descobriram que o verbo usado alterou a estimativa média do acidente.  Veja:

Chocar – 64,4

Colidir – 62,8

Esbarrar – 61,2

Bater – 54,7

Contatar – 49,9

A linguagem é uma ferramenta incrivelmente persuasiva. Saiba o que seus fãs querem e o que eles desejam acreditar sobre você, e apoie esses pensamentos e sentimentos com suas escolhas de palavras.

2. Ofereça uma solução

Por que as pessoas querem o seu produto?

Essa é uma questão 2 em 1. Há uma razão pela qual seus clientes estão no mercado para qualquer tipo de produto que você forneça. Talvez eles precisem lavar suas roupas ou sentir como se estivessem fazendo a diferença no mundo. Mas também há um motivo pelo qual seus fãs escolhem a sua solução para esse problema em vez da solução dos seus concorrentes.

E você pode saber todas as razões pelas quais seus fãs devem comprar seus produtos, mas elas podem não ter nada a ver com a razão pela qual eles escolhem seus produtos em relação à concorrência.

Essas informações são críticas se você deseja criar campanhas de mídia social que motivarão milhares de pessoas a participar. Essa informação não apenas lembrará seus fãs de que você entende de onde eles vêm, mas uma campanha autoconsciente é infinitamente mais compartilhável do que aquela que é lançada para realizar o trabalho.

Seus fãs querem ver sua campanha no feed do Facebook ou do Twitter e dizer “Sim, é exatamente isso que eu preciso“. Ou melhor: “Sim, é exatamente assim que eu penso, mas nunca digo”.

Uma ótima maneira de fazer isso é realmente pensar sobre o quando de suas campanhas de marketing social. As pessoas estão sempre procurando grandes ideias para presentes; as campanhas do Dia das Mães, Dia dos Pais, Natal e Páscoa são populares entre muitos clientes de marketing.

Ou, ainda, você pode ser um varejista com muitos lançamentos de produtos ao longo do ano; seus seguidores verão você como uma empresa que lhes fornece as tendências mais recentes do mercado. Nesse caso, convém conectar suas campanhas a esses lançamentos, para dar aos participantes uma oportunidade ainda mais exclusiva de tê-los em primeiro lugar.

A coisa mais importante a destacar no design e na mensagem da sua campanha é deixar claro que esta campanha oferece uma solução melhor do que qualquer um dos seus concorrentes. Seus produtos ou serviços devem ser descritos como os mais incríveis; as campanhas de engajamento devem oferecer a maneira mais direta e poderosa de influenciar o futuro do seu negócio.

Em campanhas de marketing de mídia social, a percepção é realidade.

3. Escreva ativamente

Quer se conectar com os clientes de uma maneira que você nunca fez antes? Quer fazer o caso mais atraente para as pessoas se envolverem com a sua marca e optarem por comprar de você em vez de qualquer um dos seus rivais?

Quando você leu isso, você pensou “sim”? É a alma do Copywriting e, se você quiser que seus seguidores escolham entrar em suas campanhas, uma pequena pitada disso pode trazer grandes resultados.

Para começar, não escreva pomposamente. O Copywriting focado em conversões pode ser informal, mas nunca descontraído. Não há “se” na cópia de conversão. Escrever só deve ser na primeira ou segunda pessoa (eu, nós ou você, não ele/ela). É fundamental que você não escreva em voz passiva.

A escrita ativa não deixa espaço para dúvidas. A escrita passiva retira o poder da escrita ao negar que isso seja necessário. A voz ativa é essencial para o texto da sua campanha e também para o título.

Escrever o título da campanha em voz ativa é uma ótima maneira de comunicar instantaneamente o benefício e lembrar seus seguidores de que isso é algo para eles participarem ativamente.

Essa é a razão pela qual muitos títulos de campanha têm um verbo como a primeira palavra, como “Confira”, “Veja”, “Siga” ou “Compartilhe”. Abrir com o verbo também define o ponto de vista de todo o texto na segunda pessoa. Com o título definindo o tom, você descobrirá que a maior parte corpo do texto de marketing social informa o que você precisa saber.

Quando você usa a redação ativa em seu texto de marketing social, seus fãs lerão ativamente e estarão mais propensos a interagir com sua campanha.

4. Implique escassez

Seus fãs estão ocupados e facilmente distraídos com milhares de outras coisas que eles podem acessar nas redes sociais. Se você não se envolver com eles agora com suas campanhas de mídia social, eles poderão encontrar um concorrente que o faça.

Para fazer alguém agir agora, você tem que insinuar que haverá consequências se escolherem esperar. A sua campanha é a única maneira de os participantes terem a chance de comprar seu produto com um desconto? É uma oportunidade que não durará para sempre?

Nenhuma campanha de mídia social dura para sempre. Portanto, enfatizar que suas campanhas de marketing são temporárias impulsiona os visitantes a participarem enquanto podem.

Outra maneira de implicar escassez é enfatizar quantas pessoas gostariam do que você está oferecendo. As pessoas gostam de fazer o que outras pessoas estão fazendo e não querem ser as últimas a fazer isso.

Um exemplo:

Muitas vezes você verá esse tipo de escrita de conversão na divulgação de webinars. O texto dará a entender que se você assistir ao webinar ao vivo terá uma chance única na vida de aprender como os especialistas exercem seu ofício. Se deixar para assistir ao vídeo depois que ele é publicado no YouTube da empresa, você estará apenas tendo acesso ao que inúmeros espectadores já estão praticando em seus negócios.

As consequências não têm que parecer terríveis — elas não são terríveis. Os mafiosos não vão até a casa de um fã hesitante e ameaçam quebrar seus joelhos. Uma maneira de sugerir as consequências de ignorar a campanha sem ser agressivo é enfatizar realmente os benefícios do produto e como o seguidores apenas poderá ter acesso a essas vantagens se fizer a compra agora.

5. Dê-lhes mais

Não deve haver apenas consequências para os seguidores que ignorarem suas campanhas — mas deve haver um incentivo extra para os seguidores que clicarem agora. Você pode oferecer uma oferta exclusiva para sua loja online, se for um varejista, por exemplo. Se sua organização tiver patrocinadores ou parceiros, descubra se eles gostariam de colaborar com você em algo especial e oferecer brindes.

Você não precisa gastar horas lendo blogs ou em centenas de cursos de Copywriting caros. Essas cinco dicas ajudarão você a começar a maximizar a conversão de suas campanhas.

Acha que tem algo que nos esquecemos de mencionar?

Compartilhe nos comentários abaixo!


Quer saber mais sobre marketing digital e mídias sociais?

Visite nosso blog.

Conheça nossos cursos.

Curta nossa página no Facebook.

Siga nosso perfil no Instagram.