fbpx

Quer se aprimorar em mídias sociais?

O algoritmo do Instagram é um personagem comum quando se fala em criação de conteúdo na plataforma. Ele leva a culpa pelo baixo alcance das publicações e parece ser sempre um mistério. Mas há alguns dias o Adam Mosseri publicou um post no blog do Instagram explicando mais sobre seu funcionamento.

Então, antes que o boato dos 7% de alcance  e o do shadowban revivam das cinzas como uma fênix, vamos atualizar nossas informações sobre o algoritmo do Instagram.

** Post atualizado em julho de 2021. Publicado originalmente em junho de 2018**

Neste post você vai encontrar respostas para as seguintes perguntas:

Então, vamos lá! 🙂

 

O que é o algoritmo do Instagram?

O algoritmo é como se fosse uma fórmula que considera diversos fatores e, como resultado, responde perguntas como: Para quem este post será exibido?

Ele é uma parte importante de todas as plataformas de redes sociais, e a principal razão de existir é que não tem como todos os usuários verem todos os posts de todos os perfis e páginas que seguem, é muita informação e de alguma forma ela precisa ser organizada.

No caso do Instagram, Mosseri explicou que não é apenas um algoritmo, mas “vários algoritmos, classificadores e processos, cada um com um propósito”. E ele segue sua explicação contando que, em 2016,

as pessoas não viam 70% das publicações no Feed e quase metade das publicações de amigos mais próximos. Por isso, desenvolvemos e implementamos um Feed que classifica as publicações com base no conteúdo que você considera mais relevante“.

E uma coisa muy importante que você precisa saber é que  dentre os diferentes algoritmos estão os que classificam nosso comportamento não só em relação ao feed inicial, mas também em relação aos stories, aos reels e à guia de explorar.

Como funciona o algoritmo do Instagram?

Antes dessa atualização de informações de 2021 o que sabíamos é que o Instagram levava em consideração 6 pontos para classificar quais publicações os usuários veriam no topo do seu feed: Interesse, Tempo, Relacionamento, Frequência, Seguidores e Uso.

Em 2021 o cenário é um pouco mais elaborado, quer ver?

Como o algoritmo do Instagram classifica posts no Feed e Stories?

De acordo com Mosseri, o feed é um espaço em que as pessoas esperam encontrar conteúdo de amigos, familiares e pessoas próximas. Assim, o primeiro passo do algoritmo é definir a ordem em que as publicações aparecem para cada usuário, decidindo qual será a publicação que aparece primeiro.

Essa decisão tem por base o que a equipe do Facebook chama de sinais. Os sinais são as informações da publicação, informações sobre quem publicou e informações sobre suas preferências. Falando assim parece super simples, mas a verdade é que milhares de sinais são analisados nessa fase.

Os sinais mais importantes no Feed e no Stories são (em ordem aproximada de importância) as informações sobre a publicação; informações sobre a pessoa que publicou; sua atividade; e seu histórico de interação com alguém. Ou seja, o algoritmo avalia a probabilidade de você ver uma publicação por alguns segundos, fazer um comentário nela, curti-la, salvá-la e tocar na foto do perfil do autor dela.

 

Infográfico com as mesmas informações do parágrafo anterior sobre sinais de classificação do algoritmo do instagram

 

Como o algoritmo do Instagram classifica posts no Explorar?

O Explorar tem uma abordagem um pouco diferente por parte do algoritmo. Como esta seção é dedicada aos conteúdos que podem ser interessantes para você, mas que você ainda não segue, entra em consideração a popularidade das publicações.

As publicações que aparecerão por primeiro no Explorar são aquelas que têm maior chance de receberem uma interação sua. A base para essa decisão está nos sinais como as publicações que curtiu, salvou ou que receberam comentários seus. Assim, quando a plataforma encontra um conjunto de fotos e vídeos de que você pode gostar, ela organiza cada item pensando em qual poderá ser mais relevante para você.

As ações mais importantes para uma publicação aparecer no Explorar de alguém são curtidas, salvamentos e compartilhamentos. E os sinais mais importantes (em ordem aproximada de importância) são as informações sobre a publicação; seu histórico de interação com a pessoa que fez a publicação; sua atividade; e informações sobre a pessoa que publicou.

Infográfico com as informações de sinais do Explorar descritas no parágrafo anterior.

 

Como o algoritmo do Instagram classifica posts no Reels?

Mais um posicionamento, mais uma mudança de lógica. No Reels o objetivo é mostrar para você conteúdos que possam ser divertidos. E, assim como no Explorar, o Reels vai ser formado majoritariamente de conteúdos de criadores que você ainda não segue.

O objetivo do algoritmo no Reels é buscar publicações que provavelmente o usuário vai assistir até o fim, curtir, dizer que foi engraçado ou interessante e acessar a página de áudio (um indicador de que você pode ter ficado com vontade de criar o próprio vídeo do Reels).

Os sinais mais importantes são (em ordem aproximada de importância) a sua atividade; seu histórico de interação com a pessoa que fez a publicação; informações sobre o vídeo do Reels; e informações sobre a pessoa que publicou.

 

Infográfico com as informações de sinais do Reels descritas no parágrafo anterior.

 

Mitos do algoritmo: Os 7% de alcance

Você pode ter recebido um pedido de um cliente para publicar aquele post de Instagram que diz que o alcance está limitado a 7% e que se as pessoas comentarem “Sim” o índice de alcance da conta vai aumentar. Esse tipo de ação volta e meia dá as caras no mundo das mídias sociais. Inclusive, já faz alguns anos que escrevo sobre este exato mesmo assunto, como neste post aqui.

E não, o alcance do Instagram não é de 7% ao máximo. Se você analisar os resultados dos seus posts do perfil comercial, vai notar que alguns deles têm alcances maiores, outros menores, que alguns podem ter menos que isso e outros podem ultrapassar os 100%.

Antes de eu te apresentar alguns dados, vamos só revisar um item bem importante para esta história que é o Relacionamento: não adianta o usuário comentar “Sim” no seu post hoje e não interagir mais com suas publicações. O relacionamento do usuário com outros perfis precisa ser recorrente, se não for, com o tempo ele deixará de ver suas publicações de qualquer maneira.

Em 22 de janeiro de 2019 o Instagram se posicionou sobre a questão do alcance em uma série de tweets.

Em tradução livre:

“Notamos um crescimento dos posts sobre a limitação de alcance das publicações do Instagram para 7% dos seguidores e gostaríamos de esclarecer isso.

O que aparece primeiro no seu feed é determinado pelos posts e perfis com os quais você se envolve mais, bem como outros fatores contribuintes, como a data da publicação, a frequência que você acessa o Instagram, quantos perfis você segue, etc.

Nós não fizemos nenhuma mudança recente no ranking do feed, e nunca escondemos publicações de pessoas que você segue – se você continuar rolando o fee, você verá as publicações. Novamente, seu feed é personalizado para você e evolui com o passar do tempo, baseado em como você usa o Instagram”.

Vamos ver alguns exemplos?

Aqui estão os alcances das 9 melhores publicações de 3 perfis nos últimos 3 meses.

O cálculo da taxa de alcance é feito com a seguinte fórmula: Alcance do post x 100 / Número de seguidores.

Perfil 1 – 800 seguidores

Exemplo de Dados de Alcance do Instagram

Post 1: 68,37%

P2: 66,37%

P3: 65,25%

P7: 62,75%

P8: 62,25%

P9: 62,12%

 

Perfil 2 – 10,7k seguidores

Post 1: 56,99%

P2: 50,06%

P3: 48,74%

P4: 34,26%

P5: 33,86%

P6: 33,38%

 

Perfil 3 – 11,5k seguidores

Post 1: 68,79%

P2: 63,12%

P3: 50,53%

P4: 41,97%

P5: 39,48%

P6: 39,40%

 

E a sua taxa de alcance, como está? Para descobrir, basta seguir o mesmo cálculo e você vai saber quanto do seu público está alcançando.

 

Mitos do algoritmo: Shadowban

A grande novidade do anúncio publicado por Adam Mosseri foi que, pela primeira vez, temos uma posição do Instagram a respeito do polêmico e temido shadowban.

Você não sabe o que é isso? Te explico.

Algumas pessoas, diante de resultados insatisfatórios das suas publicações, culpam o algoritmo por não entregar seus conteúdos. E mais: essas pessoas também acusam o algoritmo de banir suas publicações de algumas hashtags. 🤦‍♀️

De acordo com Mosseri,

Reconhecemos que nem sempre fizemos o suficiente para explicar o motivo da remoção e da recomendação ou não de determinados conteúdos, além de como o Instagram funciona de maneira geral. Sabemos que isso leva as pessoas a tirarem as próprias conclusões sobre a experiência que tiveram, e elas podem se sentir confusas ou injustiçadas.

[…]  Não podemos prometer que todas as publicações sempre alcançarão o mesmo número de pessoas. Na verdade, a maior parte dos seus seguidores não verá o que você compartilha, pois a maioria deles olha menos da metade do que aparece no Feed. Porém, podemos ser mais transparentes em relação ao motivo da remoção de determinado conteúdo, reduzir a incidência de erros e corrigi-los o mais rápido possível, além de explicar melhor como funcionam os nossos sistemas.

Ou seja, depende de você criar conteúdos que sejam relevantes para os seguidores, assim como depende de você criar conteúdos que não tenham razões para serem banidos e escolher hashtags adequadas para suas publicações.

O que me leva à última parte deste post. Afinal, o que você pode fazer para melhorar seus resultados orgânicos no Instagram?

 

O que fazer para melhorar seus resultados no Instagram?

Algumas coisas podem ser feitas para melhorar o resultado das suas publicações no Instagram e o seu foco precisa estar em melhorar o conteúdo.

Conteúdo: Neste ponto você pode observar o que seus melhores posts têm, isso pode envolver: tipo de imagem ou vídeo; comprimento da legenda; tipo de texto da legenda; dia de publicação; horário de publicação.

Hashtags: Um outro ponto importante é testar hashtags para descobrir quais são as que mais trazem resultados. Isso pode ser visualizado abaixo de cada publicação, no item Ver Informações > Descoberta. No item Impressões desta área ele vai indicar se as pessoas localizaram seus posts por hashtags ou não. Um bom teste é usar uma hashtag única por semana para saber qual é a melhor.

Interação: Há alguns meses o Facebook começou a falar de interações significativas e, ao que tudo indica, para o Instagram isso envolve ter comentários em que as pessoas se marcam umas às outras e comentários com mais de 4 palavras que formem uma frase. Ou seja, volto a dizer: um simples “Sim” não vai significar muita coisa. 😉

Anúncios: Assim como o Facebook, a tendência é que os anúncios tenham um papel cada vez maior no Instagram. Nas últimas semanas, inclusive, já passou a ser possível usar publicações do perfil do Instagram em campanhas pagas criadas diretamente pelo Gerenciador de Anúncios do Facebook. Vale a pena aprender a criar campanhas no Instagram e começar a investir por lá, também.

Por fim, vale lembrar que, como tudo em marketing digital, não existe uma fórmula mágica. O segredo é entender o seu público e investir em entregar conteúdo que ele realmente quer ver. E só assim você poderá ter tranquilidade e não cair em qualquer modismo alarmante das redes sociais.


Gostou deste post?

Leia mais no nosso blog.

Conheça nossos cursos.

Acompanhe nossa página e nosso perfil.

Quem escreve o blog?

Oi, eu sou a Mariana Klein, fundadora da Petit Mídias Sociais.
Sou Mestre em Administração pela Univ. Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e minha especialidade é Performance de Campanhas em Mídias Digitais, com 250+ clientes já atendidos na América Latina.
Sou professora (há 20~ anos), atualmente leciono as disciplinas de Marketing Digital e Métricas em Mídias Sociais em programas de Pós-Graduação  em Comunicação e Marketing Estratégico (Faculdade Senac Porto Alegre) e no MBA em Mídias Sociais (Universidade Franciscana – Santa Maria / RS), respectivamente.

%d blogueiros gostam disto: