Quer aprofundar seus conhecimentos em mídias sociais?

Quando o assunto é marketing digital, há poucas dúvidas de que o Facebook e o Google dominam a publicidade no meio virtual, tamanha a influência que as empresas exercem sobre as pessoas hoje. Se você quer alcançar o seu público, então essas plataformas são os melhores lugares para você estar.

Há diversos canais de mídias pagas para você rodar suas campanhas e divulgar seus anúncios. Mas, dada a abrangência, os recursos que oferecem e os resultados que garantem, o Facebook e o Google serão nosso foco neste artigo.

A pergunta que não quer calar é: qual deles é a melhor opção para o seu negócio? A seguir, mostraremos alguns dados para que você consiga entender as diferenças entre anunciar entre mídias sociais e no Google para, então, montar a sua estratégia. Vamos lá?

Como funciona o Facebook Ads?

Por que as pessoas estão no Facebook? Elas estão fazendo pesquisas, buscando um meio para resolver um problema? Elas precisam de um encanador? Obviamente não.

O Facebook é uma rede social e isso significa que a maioria dos usuários não está lá para procurar por encanadores ou comprar produtos. (Pelo menos a intenção de compra não é tão alta assim). Contudo, isso não significa que você não deva investir em Facebook Ads.

Com mais de 2 bilhões de usuários ativos por mês, você pode encontrar praticamente qualquer tipo de público-alvo e nicho de mercado na plataforma. Como alcançá-los? No Facebook Ads os anúncios são exibidos para os usuários com base no perfil que você determinou na sua estratégia e no comportamento online deles.

Quer conhecer mais dados sobre o público do Facebook e Instagram? Visite o QG dos Insights da plataforma.

Dessa forma, uma pessoa pode ver o seu anúncio mesmo que não tenha ativamente demonstrado nenhum interesse no seu produto ainda. Ou seja, você vai alcançar muitas pessoas que estão na fase de descoberta e, para que haja uma real conversão, a oferta que seu anúncio faz precisa ser muito atrativa.

Em resumo, o Facebook Ads é muito eficaz em estratégias que têm como objetivo aumentar o volume de leads, engajar clientes, gerar interesse, posicionar a marca e cosntruir uma boa relação com os usuários — que, no futuro, não serão apenas consumidores, mas também fãs.

O Facebook oferece, basicamente, três formatos de anúncios: imagem + texto, vídeo e título + texto. Eles aparecem no feed de notícias ou na barra lateral, à exceção do vídeo, que só pode ser veiculado no feed.

Como funciona o Google Adwords?

Bom, agora refazemos a pergunta: por que as pessoas usam o Google? A resposta para essa questão demonstra a principal diferença entre as duas plataformas.

Enquanto o Facebook utiliza a segmentação do público baseado em dados como sexo, idade, localização, profissão, status de relacionamento e interesses pessoais, o Google Adwords segmenta os usuários com base em palavras-chave.

Ou seja, o estágio da jornada em que se encontra o cliente é muito mais avançado aqui. Diferentemente do que acontece nas redes sociais — em que o consumidor ainda não sabe se quer algo, mas por meio da sua campanha será impactado e avançará rumo à aquisição — quem vai ao Google está ativamente procurando por um produto ou serviço.

Geralmente, o usuário busca por informações adicionais, preços e, claro, uma oferta que seja irrecusável. Ou seja, na maioria das vezes, o seu público-alvo no Google Ads está mais bem encaminhado para o ato da compra.

Com impressionantes 100 bilhões de buscas por mês e mais de 2 trilhões durante o ano, o Google é líder na área e oferece diversos formatos de anúncios, além da possibilidade de veiculá-los em diferentes canais, como o YouTube.

Os anúncios em banner podem ter tamanhos diferentes, bem como apresentar somente texto, texto + foto, vídeo e link + texto.

Quanto à estratégia, o Google Adwords é muito eficiente nas campanhas que visam gerar conversões de modo geral — vendas, captação de leads, downloads de aplicativos e e-books, atração de tráfego etc.

E sobre o Instagram?

Muito bem, mas e o Instagram? No que diz repeito aos formatos de anúncios que têm mais sucesso nas redes sociais, o Facebook Ads e o Instagram Ads se assemelham. Isto é, dificilmente algo que deu certo em uma plataforma não responderá bem na outra.

Afinal, tal como o Facebook, o Instagram é uma rede social e seus usuários não buscam ativamente por soluções.

Contudo, é preciso ficar atento às particularidades do Instagram:

  • o smartphone é responsável por 100% do tráfego no Instagram (suas campanhas devem ser responsivas para celular, portanto);
  • as métricas de desempenho nem sempre são iguais às do Facebook (taxas de conversão são, geralmente, menores no Instagram. Muitas vezes por causa da landing page pouco estruturada para smartphones);
  • 90% dos usuários do Instagram têm menos que 35 anos e, por isso, respondem a diferentes CTAs.

Botando na balança, o Facebook, hoje, ainda oferece melhores opções de segmentação e, portanto, os anúncios levam mais vantagem sobre o Instagram.

Como você pôde ver, anunciar em mídias sociais e no Google tem grandes diferenças, não é mesmo? A sua opção deve levar em consideração os objetivos que você quer atingir. Mas acreditamos que essa não seja uma questão de escolher entre uma ou outra plataforma, e sim de usá-las ao mesmo tempo.


Gostou da leitura? Nosso artigo foi interessante para você? Você encontra mais conteúdos como este no nosso blog, toda semana tem um post novo para você! Entre, e fique à vontade. 🙂

Quem escreveu este post?

Mariana Klein

Fundadora da Petit Mídias Sociais, Professora de Marketing Digital e Consultora de Mídias Sociais com mais de uma década de experiência.

Sou Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e minha especialidade é   Performance de Campanhas em Mídias Digitais (Social Ads, Google Ads, Native Ads), com mais de 250 clientes já atendidos em toda a América Latina.   Sou professora há quase 20 anos, atualmente na disciplina de  Marketing Digital na Especialização em Comunicação e Marketing Estratégico  (Faculdade Senac Porto Alegre) e na disciplina de  Métricas de Mídias Sociais no MBA em Mídias Sociais Digitais  (Universidade Franciscana – Santa Maria / RS). 

Instagram
Fazer 𝘂𝗺𝗮 𝗯𝗼𝗮 𝗹𝗶𝘀𝘁𝗮 𝗱𝗲 𝗲𝗺𝗮𝗶𝗹𝘀 é essencial para sua #EstratégiaDeEmailMarketing dar certo. Por isso, é preciso construí-la organicamente, com a autorização dos contatos, e fugir de artimanhas como a compra de listas prontas, que só trazem prejuízos.⁣
Com um bilhão de pessoas usando o Instagram todos os meses, ele é uma 𝗽𝗹𝗮𝘁𝗮𝗳𝗼𝗿𝗺𝗮 𝗰𝗼𝗺 𝗴𝗿𝗮𝗻𝗱𝗲 𝗽𝗼𝘁𝗲𝗻𝗰𝗶𝗮𝗹 𝗱𝗲 𝗥𝗢𝗜. Mas para colher os frutos, você não precisa apenas de um público, você precisa de envolvimento (comentários, compartilhamentos, curtidas, etc.).⁣
Mais uma vez o 𝐖𝐡𝐚𝐭𝐬𝐀𝐩𝐩 está no topo do ranking dos apps mais populares no Brasil. De acordo com os dados do Digital in Brazil 2021, do We Are Social e Hootsuite, ele é o 2° app mais usado por aqui - 91% das pessoas usam o app mensalmente. Ele fica atrás apenas do YouTube (96%). Depois deles estão o Facebook (89%) e o Instagram (86%).⁣
Muito mais que uma plataforma de compartilhamento de fotos, o Instagram lançou uma tonelada de 𝗿𝗲𝗰𝘂𝗿𝘀𝗼𝘀 𝗽𝗮𝗿𝗮 𝗮𝗷𝘂𝗱𝗮𝗿 𝗮𝘀 𝗲𝗺𝗽𝗿𝗲𝘀𝗮𝘀 𝗮 𝘃𝗲𝗻𝗱𝗲𝗿 𝗱𝗶𝗿𝗲𝘁𝗮𝗺𝗲𝗻𝘁𝗲 𝗱𝗼 𝗮𝗽𝗹𝗶𝗰𝗮𝘁𝗶𝘃𝗼.⁣
Você sabia que ⅓ dos 𝗜𝗻𝘀𝘁𝗮𝗴𝗿𝗮𝗺 𝗦𝘁𝗼𝗿𝗶𝗲𝘀 mais vistos são de empresas? Que 50% 𝗱𝗮𝘀 𝗲𝗺𝗽𝗿𝗲𝘀𝗮𝘀 𝗻𝗼 𝗜𝗻𝘀𝘁𝗮𝗴𝗿𝗮𝗺 𝗻𝗼 𝗺𝘂𝗻𝗱𝗼 𝗶𝗻𝘁𝗲𝗶𝗿𝗼 𝗰𝗿𝗶𝗮𝗺 𝗽𝗲𝗹𝗼 𝗺𝗲𝗻𝗼𝘀 𝘂𝗺 𝘀𝘁𝗼𝗿𝘆 𝗽𝗼𝗿 𝗺𝗲𝗻𝘀𝗮𝗹𝗺𝗲𝗻𝘁𝗲? Que 96% dos profissionais de #Marketing entrevistados pelo Facebook nos EUA têm planos de continuar usando anúncios em histórias nos próximos seis meses?⁣
𝗖𝗵𝗲𝗴𝗮 𝗱𝗲 𝗳𝗶𝗰𝗮𝗿 𝗲𝗺 𝗽â𝗻𝗶𝗰𝗼 𝗰𝗼𝗺 𝗮𝘀 𝗺𝗲𝗻𝘀𝗮𝗴𝗲𝗻𝘀 𝗿𝗲𝗰𝗲𝗯𝗶𝗱𝗮𝘀 𝗽𝗲𝗹𝗮𝘀 𝗿𝗲𝗱𝗲𝘀 𝘀𝗼𝗰𝗶𝗮𝗶𝘀! 😱 Mensagens automáticas podem te ajudar a conversar melhor com o consumidor, mas há alguns detalhes que você precisa considerar:⁣